Médicos repudiam secretaria por mudanças na insalubridade e acusam gestor de “desmazelo”

132

O Sindicato dos Médicos do Tocantins- Simed encaminhou nota à imprensa na qual critica possíveis mudanças na insalubridade.

A entidade pega pesado na nota e diz que repudia o ato que chamam de “irresponsável”. Confira a íntegra da nota abaixo:

O Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (SIMED-TO) vem a público externar seu mais veemente repúdio ao anúncio feito pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesau) de que irá alterar a forma de  concessão da indenização por insalubridade aos profissionais da saúde.

O fatídico anúncio ocorreu sob um clima de pressão e ameaça durante reunião nesta segunda-feira, 11/9, no Hospital Regional de Gurupi, por ironia, uma das unidades hospitalares vítimas da má gestão e da irresponsabilidade de um gestor que usa muito mal os recursos destinados ao sistema público de saúde.

O SIMED-TO não admitirá que a alardeada frustração de receitas estaduais seja “compensada”, mais uma vez, sobre os vencimentos dos profissionais médicos.

Não aceitará, em hipótese alguma, que uma garantia trabalhista conquistada há quase 30 anos, para indenizar o profissional que labora habitualmente em condições insalubres, seja extinta.

A entidade repudia mais esse ato irresponsável da Sesau, principalmente, diante do cenário caótico nos hospitais públicos, nos quais a secretaria não consegue dar condições de trabalho aos profissionais, não soluciona a crônica falta de profissionais para fechamento das escalas mensais, negligenciando, dia após dia, a insuficiência de recursos humanos e materiais para a mínimo e satisfatório atendimento ao cidadão, ao mesmo tempo em que desestrutura os serviços especializados antes oferecido no interior.

O SIMED-TO usará de todos os meios legais para impedir que as barbaridades cometidas pela Sesau continuem sendo impetradas por desmazelo do atual gestor.

Sua opinião é muito importante: