Andrino diz que deputados que votaram em “Pacotaço” não tem moral para criticar valor dos impostos

0
404

Apoiador da candidatura de Carlos Amastha (PSB), da coligação “Palmas Bem Cuidada”, o candidato a vereador Tiago Andrino (PSB) declarou ser “desfaçatez” de deputados que votaram pelo aumento de impostos e apoiam o governo do Estado criticar em programa eleitoral os ajustes fiscais feitos pela prefeitura de Palmas.

“Primeiro, fica a pergunta: Quem moral tem deputado que votou no pacotaço de impostos e apoia a candidata do Palácio Araguaia, que enfiou goela abaixo dos tocantinenses esses aumentos de ICMS, IPVA e outros tributos?”

Andrino se refere ao fato de deputados Valdemar Júnior e Wanderlei Barbosa terem participado do programa eleitoral na TV da candidata Cláudia Lelis, da coligação “Frente por Palmas”.

Valdemar Júnior votou a favor do aumento do impostos em 2015, cuja cobrança está em vigor desde o início do ano. O aumento foi proposto pelo governo do Estado, que tem a candidata Cláudia Lelis como vice. “Este aumento contribuiu para o governo do Estado arrecadar só de ICMS e outros impostos mais de 200 milhões de reais até o final do mês passado. A arrecadação total passou de 4 bilhões de reais. E, por outro lado, o caos domina o Estado com greve geral e falta de comida. Essa conta não bate.”

Para ele, o cenário é de uma contradição enorme. “Deputado vota a favor de aumento de imposto e no programa eleitoral de candidata co-autora do aumento fazendo críticas? É desfaçatez, muita cara de pau mesmo”, comentou.

Tiago Andrino disse que se engana quem acha que a população vai esquecer esse fato. “Está muito enganado. Essa assombração desse aumento de impostos está a toda hora conosco. O cidadão vai lembrar a toda hora. Ao abastecer seu carro, sua moto, comprar qualquer produto que o impacto do pacotaço estará lá em forma de ICMS mais caro. Fora os demais tributos, como o IPVA e o Detran”, lembrou.

AS AÇÕES DE AMASTHA

Andrino declarou ainda que em Palmas a gestão Amastha, primeiramente, recuperou a saúde financeira da Prefeitura e sua credibilidade para depois implementar “medidas justas”. “Na questão de impostos, Amastha teve a coragem de reordenar a planta de valores do IPTU, obrigando especuladores e donos de muitas áreas apenas para especulação pagarem impostos justos, deu isenção para quem necessita e foi até a Justiça para cobrar de quem deveria pagar e não pagava”, comentou, lembrando que os pagamentos aos servidores, como a data-base, estão em dia, bem como os salários que muitas vezes são adiantados.

Fonte: Ascom

Sua opinião é muito importante: