Novo Comandante da PM promete edital de concurso ainda para este ano

(Foto: Governo do Tocantins)
(Foto: Nielcem Fernandes)

A solenidade da passagem de Comando da Polícia Militar do Tocantins aconteceu na noite desta sexta-feira, 6, no pátio do Comando Geral da corporação e contou com a presença de várias autoridades. Antes da cerimônia o Governador Marcelo Miranda (PMDB) entregou a Polícia Militar 1.500 cones para policiamento de trânsito, um drone para auxiliar nas operações polícias, 17 viaturas para o serviço de policiamento ostensivo além de 11 veículos para a PM e Agência Tocantinense de Transportes e Obras (AGETO) para ampliar o atendimento nas rodovias estaduais.

Durante o ato, o coronel Glauber de Oliveira Santos passou o Comando da PM para o coronel Edivan Jesus Silva que foi empossado de imediato pelo chefe do executivo estadual. O também coronel Marcelo Falcão Soares assumiu como novo chefe de estado maior. Após a posse, comandante substituto e o atual  fizeram revista às tropas. Em seguida o coronel Glauber foi empossado pelo Governador como novo gestor da pasta da Secretaria de Justiça e Cidadania de Justiça do Tocantins (SECIJU).

A troca de Comando acontece em meio à turbulência causada pelo episódio entre os polícias militares e um delegado da polícia civil ocorrido em Guaraí há exatos 10 dias e as fugas de detentos ocorridas na cidade de Miranorte e na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP). O Coronel Edivan minimizou a problemática e negou um possível conflito entre as corporações “a polícia civil é uma grande parceira da PM, particularmente eu tenho um irmão na polícia civil e grandes amigos também. O que nós desejamos é estar cada vez mais unidos porque nossa missão é uma só: servir ao cidadão tocantinense e dar segurança à população”, disse.

Ao ser questionado sobre as metas a frente da corporação, o comandante geral disse que pretende dar seguimento às políticas públicas de segurança implantadas pela gestão e intensificar o policiamento preventivo “pretendemos buscar cada vez mais uma proximidade com a sociedade, estar mais próximo do cidadão. Buscaremos sobretudo trabalhar na área preventiva e fortalecer nossas atuações junto ao PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), junto às Escolas Militares, as bases comunitárias, enfim. Nosso desejo é estar cada vez mais próximo ao cidadão. Pois acreditamos que a segurança pública é algo que tem que ser construído por todas as pessoas não só pela polícia militar”, disse.

A equipe da Gazeta perguntou ao comandante sobre o concurso da PM, e Edivan reafirmou o compromisso de lançar o edital ainda esse ano. “O processo está em andamento já está bastante avançado, existem regras e normas que precisam ser seguidas e elas estão sendo seguidas exatamente para que haja lisura e para que o concurso possa ser realizado da melhor maneira possível. Esse processo está em andamento há muito tempo e acreditamos que muito em breve o edital será lançado”, disse.

Empossado a respeito dos desafios em atender as demandas de segurança dentro do Estado com um número reduzido de efetivo nas ruas, uma vez que as promoções concedidas aos membros da corporação diminuíram significantemente o quantitativo de soldados nas rondas extensivas e o comandante disparou “nunca vi dizer que um policial militar de patente não pode ir pra rua defender os interesses da segurança da população, isso não existe”.

Em seu discurso de encerramento, Marcelo Miranda afirmou que o tema atual é a segurança pública. “Não se discute outra coisa no dia-a-dia a não ser segurança pública. E os desafios estão aí”. O governador agradeceu o trabalho do coronel Glauber, sobretudo no comando da PM, lembrou o trabalho da ex-secretária da Seciju, Gleidy Braga, e deu as boas vindas aos novos empossados.  

Apesar do tom comemorativo o Governador lembrou o papel do Comandante à frente da corporação. “Te desejo sucesso e queremos resultados. Especialmente para que as respostas a sociedade continuem sendo dadas o mais rápido possível. Tenho certeza coronel Edivan que com sua experiência e dedicação a o seu ofício, continuaremos uma corporação a serviço da manutenção da ordem e da segurança da população. Alteramos sim a titularidade dos cargos, porém permanece intacta a missão da PM no Tocantins: assegurar a ordem pública, com policiamento ostensivo buscando a excelência e a parceria com a comunidade”, finalizou.

(Foto: Nielcem Fernandes)

Texto: Nielcem Fernandes

Edição: Jornalista Brener Nunes

Sua opinião é muito importante: