Polícia usa balas de borracha e spray de pimenta para dispersar foliões em Palmas

0
386
(Foto: Arquivo Pessoal)

Um bloco de Carnaval não oficial terminou em confusão com a Polícia Militar na madrugada desta terça-feira (13) na região central de Palmas. A comemoração foi convocada pelas redes sociais para a quadra 104 Sul, onde há principalmente comércios, mas também imóveis residenciais. Foliões foram atingidos com balas de borracha e os militares também jogaram spray de pimenta para dispersar a multidão.

A confusão começou por volta de 1h30, quando viaturas chegaram ao local após reclamações de moradores. Conforme a polícia, o grupo não tinha autorização para fechar a rua. O empresário Felipe Couto estava na festa e conta que a polícia chegou sem avisar.

“Eles me disseram que avisaram todo mundo [para sair do local], mas não avisaram nada. As pessoas começaram a correr, eu me assustei e comecei a correr junto. Depois que percebi o que estava acontecendo, fui conversar e perguntar o porquê da atitude. Simplesmente me deram um tiro”, contou.

A festa de Carnaval estava ocorrendo no mesmo local onde um bloco havia sido organizado no último domingo (11) por um bar. Porém, desta vez não havia uma organização oficial. Uma postagem em uma rede social chamou os foliões para a festa. “[…] como a gente só precisa da rua então vai ter carnavrau sim! Levem o que for consumir, muita alegria e #pas! Até as 17h!”

Jovem foi atingido com bala de borracha (Foto: Arquivo Pessoal)

Jovem foi atingido com bala de borracha (Foto: Arquivo Pessoal)

Vídeos e fotos do momento da confusão viralizaram na web. Um dos registros mostra o momento em que a polícia chega com as sirenes ligadas. Momentos depois, os foliões começam a correr e podem ser ouvidos disparos de balas de borracha.

A Polícia Militar informou, em nota, que chegou ao local se deparou com uma via pública totalmente interrompida, sem autorização legal dos organizadores. “Após intervenção verbal a PM não foi atendida, bem como hostilizada com agressões físicas e depredações do patrimônio público.”

Uma testemunha que estava no local disse que em certo momento os foliões começaram a gritar: “Eu não vou embora.”

Os foliões negam que tenham agredido os militares. “Se tivesse acontecendo alguma coisa errada tudo bem, trabalho deles. Porém, ninguém ali fez nada de errado. Se tivesse aviso prévio tudo bem as pessoas poderiam escolher sair ou ficar no lugar, mas não teve”, disse o empresário.

A polícia afirma que precisou usar “meios moderados da força”. “A Polícia Militar orienta a população que quaisquer ações que venham a interromper a via pública devem seguir o trâmite legal, com autorização dos órgãos locais, bem como aviso prévio à autoridade. Não houve registro de pedido para o caso acima citado.”

Fonte: G1 Tocantins

Sua opinião é muito importante: