Declaração de bens: Vicentinho tem maior patrimônio dentre todos os candidatos; Carlesse teve redução de 91,51% desde 2014

(Divulgação)

Especial Gazeta do Cerrado – Maria José Cotrim

Saiu a declaração de bens dos candidatos que disputam as eleições suplementares. A Gazeta do Cerrado apurou junto ao sistema do TSE.

Carlos Amastha

O candidato Carlos Amastha, primeiro da lista mostrada pelo TSE, declarou R$15.703.130,86 milhões em bens dentre veículos e empréstimos a receber. Na última eleição que disputou Amastha declarou ter R$ 21.093.095,53 milhões.

Senadora Katia Abreu

A candidata Kátia Abreu, por sua vez, declarou R$3.851.225,78 milhões em bens  dentre imóveis e também empréstimos. Em 2014, a última eleição que disputou, a senadora declarou ter R$ 4.131.891,79 milhões.

Marcos Souza (Marcos da Cerâmica) – Foto Marco Aurélio Jacob/RAKA-GZT

O candidato Marco da Cerâmica declarou R$100.000,00 mil em bens de participação societária.

O candidato do PSOL, Mário Lúcio Avelar não consta na lista pois seus dados ainda não foram processados.

Mario Lúcio Avelar e Sargento Genilson (vice) – Foto Marco Aurélio Jacob/RAKA-GZT

O candidato, Marlon Reis do Rede declarou R$ R$1.080.000,00 milhões em veículos e uma Fazenda.

Marlon Reis – Foto Marco Aurélio Jacob/RAKA-GZT

Já Mauro Carlesse do PHS declarou R$ 2.994.169,42 milhões em bens para este pleito.

Mauro Carlesse (Foto: Lia Mara/Governo do Tocantins)

Por fim, o candidato Vicentinho Alves do PR declarou  R$ 18.943.005,55 milhões em bens. Quando disputou o Senado no ano de 2010 ele declarou ter R$ R$ 9.600.717,68 milhões portanto seu patrimônio dobrou nos oito anos que está no Senado.

Senador Vicentinho Alves (divulgação)

Caso Carlesse

Um candidato que perdeu R$ 32,27 milhões de patrimônio em menos de quatro anos. Pelo menos é essa a situação do deputado estadual e governador em exercício, Mauro Carlesse  quando se olha as suas declarações de bens à Justiça Eleitoral.

Em 2014, durante a disputa para obter uma vaga na Assembleia Legislativa e se eleger deputado estadual, Carlesse declarou possuir patrimônio total de R$ 35.273.800,00. Agora, no registro para disputar à reeleição na eleição suplementar, Carlesse diz ter apenas R$ 2.994.169,42 de patrimônio. A queda, de exatos R$ 32.279.630,58, representa redução patrimonial de 91,51%. Na média e levando em contas as informações oficiais declaradas pelo próprio candidato à Justiça Eleitoral, Carlesse perdeu pouco mais de R$ 8 milhões por ano, o que representa R$ 672 mil por mês.

Fazenda fica em Dueré.

Ao se comparar a lista de bens do candidato em 2014 e em 2018, a principal diferença é a Fazenda Ipanema, em Dueré, Sul do Estado, que não está na declaração atual. Em 2014, Carlesse disse à Justiça que o imóvel era avaliado em R$ 34 milhões.

A declaração de bens de Carlesse em 2018 está disponível neste link: http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/candidato/2014/91575/TO/270000010435/bens.

Já a declaração de bens de 2014 pode ser vista aqui:

http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/candidato/2014/680/TO/270000000248/bens.

Sua opinião é muito importante: