“Não sou mulher de prometer ponte de papel, nem de vento”, diz Kátia Abreu em grande reunião em Porto Nacional

0
491
(Foto: Ademir dos Anjos)

Em material divulgado à imprensa na manhã desta quarta-feira, 16, a candidata Kátia Abreu (PDT) afirmou que: “Porto Nacional tem aptidão para o agronegócio e ninguém entende deste assunto ou conhece mais o Tocantins mais que Kátia Abreu” , afirmou Joaquim Maia. “Por que vendo o seu discurso, conhecendo sua trajetória, o que se vê é seu amor pelo nosso estado e pela nossa gente”, completou.  Ele disse ainda: “Quando fui consultar meu grupo, pedi a Deus que me indicasse o melhor caminho. E cheguei à conclusão de que o melhor é este, não apenas para Porto nacional, mas para todo o Tocantins”.

“É um dos acontecimentos políticos mais relevantes e mais fundamentais desta campanha”, afirmou Marco Antonio Costa, candidato a vice da coligação Reconstruindo o Tocantins.

Raul Filho, ex-prefeito de Palmas, assinalou: “Só Kátia tem o pulso, o braço forte para dar ao Tocantins os resultados sócio-econômicos que o povo precisa”.

Aproximadamente 1.500 pessoas estiveram no evento na noite desta terça-feira (15). O encontro foi marcado pela alegria e pela emoção. “Peço a Deus que ilumine e abençoe cada passo do caminho de todos que estão aqui”, afirmou o Monsenhor Jones na oração inicial. “Esta mulher é uma promotora da vida”, disse o Monsenhor. “Quando eu vivia em Paranã, há mais de cinco anos, no interior, sou testemunha de que ela enviava um caminhão da saúde da mulher para dar assistência para as mulheres da área rural. Era Kátia Abreu que promovia o caminhão porque ela ajuda as pessoas”, relatou o padre.

“Não sou mulher de prometer ponte de papel nem de vento”, disse Kátia. Ela se referia à ponte que atravessa o lago e é fundamental para o transporte da produção agropecuária da região de Porto Nacional e encontra-se, de acordo com estudos técnicos, em estado precário. Além de uma nova ponte, ela disse que vai duplicar as estradas que ligam Porto Nacional a Palmas e a capital a Paraíso, fazendo a integração de toda essa região, e também a recapear e asfaltar todas as ruas de porto.

“Joaquim Maia, tenha a certeza de que você não terminará seu mandato sem que esta cidade esteja inteiramente asfaltada e recapeada”, assegurou.Kátia lembrou que, como ministra da Agricultura, foi a responsável pelo decreto que vai garantir investimentos e mais  desenvolvimento para a região do Matopiba, definida como a última fronteira agrícola do Brasil e composta pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

“O Matopiba, que já fiz conhecido em diversos países, não é uma invenção minha, mas resultado de um profundo estudo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e que, se Deus me permitir ser a governadora deste estado, tornarei realidade.  Ela contou que a Embrapa recomendou Porto Nacional como a capital do Matopiba.

A candidata disse ainda que, se Deus permitir que ela ganhe a eleição, não vai precisar fazer planejamento. “Governar o Tocantins exige projeto com começo, meio e fim, e estou construindo esse projeto há um ano. Se começasse a governar hoje, a primeira reunião já seria para estabelecer as metas e os prazos do plano de desenvolvimento humano do nosso povo ”, garantiu.

“Vocês terão a primeira governadora mulher do Tocantins. Governar o Tocantins é coisa muito séria e precisa de um projeto com começo, meio e fim. Estou há um ano construindo este projeto e vou realizar o sonho de desenvolver o Tocantins e construir uma vida melhor para a nossa gente”.

Inúmeras lideranças compareceram ao evento, entre elas, a primeira dama de Porto Nacional Aline maia; o vice-prefeito Ronivon  Maciel; sargento Aragão; ex-prefeitos de Ipueiras, Hélio dos Anjos e de Monte do Carmo, Gilvane Amaral; ex-vereadora professora Alaídes do PT e outros líderes políticoss, religiosos e comunitários de Porto Nacional e cidades circunvizinhas.

Sua opinião é muito importante: