Plano de desenvolvimento do babaçu deve aumentar geração de renda a famílias do Tocantins

0
136

Durante a 31ª reunião do Núcleo de Arranjos Produtivos Locais (APL), realizada nesta quinta, 2 de agosto, a diretora de Desenvolvimento Econômico, Juliana Costa Carneiro, e o gerente de Arranjos Produtivos, Marcondes Martins, apresentaram o Projeto Babaçu e as informações já elencadas para a elaboração do Plano de Desenvolvimento do Babaçu. O objetivo é receber colaborações para o documento, que já está em fase de elaboração.

“Queremos a contribuição de cada instituição parceira, em busca de soluções para o desenvolvimento do processo produtivo do babaçu, o que levará ao aumento da geração de novas oportunidades e renda”, revelou Poliana.

Durante o encontro, os gestores da Seden apresentaram o levantamento de desafios, necessidades e pontos altos da cadeia produtiva do babaçu. Os dados foram levantados durante oficina realizada no mês de julho, em Xambioá, com a participação dos integrantes daCooperativa Multifuncional de Economia Solidária do Estado do Tocantins (Coome-Sol).

Uma nova oficina está agendada para o próximo dia 16 de agosto, dessa vez na cidade de Axixá, e que deverá contar com participantes dos municípios próximos. Segundo Marcondes, também está em fase de organização uma rodada de negócios, onde instituições de ensino superior terão a oportunidade de apresentar o resultado de suas pesquisas a investidores potenciais.

Potencial

A elaboração do plano de desenvolvimento é uma das ações previstas pelo acordo de cooperação técnica entre o Governo/Seden e a Universidade Federal do Tocantins (UFT), assinado em julho, para realização de estudos e pesquisa voltadas a exploração do potencial de uso do coco babaçu como alimento para ser humano, ração animal, cosméticos, fármacos, produção de biocombustível e bioenergia, biomassa, além do levantamento das propriedades medicinais e o estudo comparativo do óleo de coco babaçu com outros óleos.

Estiveram presentes à reunião, representantes da Universidade do Tocantins (Unitins), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Ceulp/Ulbra, Instituto de Desenvolvimento Rural (Ruraltins), Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas), Banco do Brasil e Serviço Nacional de Aprendizado do Cooperativismo no Estado do Tocantins (Sescoop/TO).

Fonte: Secretaria de desenvolvimento econômico do Tocantins

Sua opinião é muito importante: