Coluna Espaço Acadêmico: Projeto Biblioteca Mágica será implantado em novas escolas

Foto: Walquerley Ribeiro

Uma iniciativa de sucesso da Escola Municipal Henrique Talone, na Arso 24, está sendo apresentada na Feira de Empreendedorismo, Ciência, Inovação e Tecnologia (Fecit) 2018, que acontece no campus do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), em Palmas. O projeto Biblioteca Mágica tem o objetivo de motivar os alunos e facilitar o acesso aos livros estimulando o hábito de leitura e incentivando a formação de consciência crítica.

 

 

No projeto Biblioteca Mágica, a contação de histórias é o início para uma revolução na leitura. De acordo com a professora, doutoranda e mestre em Ensino de Língua e Literatura, Gislene Pires de Camargo, tudo começou com a contação de histórias a partir do livro No Baú da Memória: Revirando a História, da autora Luzia Maria. “O livro conta a história de uma garotinha, a Samille. Inconformada com as histórias e seus finais, a menina tem criatividade e resolve revirar um tradicional conto de fadas. Entra na história e faz tantas inovações que acaba virando pelo avesso o mundo do faz-de-conta. Uma aventura que a leva a fazer descobertas”, considera.

 

Na Biblioteca Mágica, os livros são expostos de forma acessível e misturados a elementos lúdicos em espaços atraentes para as crianças, buscando encantar e criar nelas o desejo pela leitura. Segundo o professor das aulas de reforço, Glausson Parlandino, as crianças quando chegavam na biblioteca se sentiam retraídas. “Depois da personalização da Biblioteca, a magia tomou conta de toda a escola”, explicou.

 

Já a professora Vergiane Fornari Crepaldi, usa a Biblioteca Mágica para aulas com o sussurrofone. De acordo com ela, o aparelho pedagógico aproxima a criança do som e isso torna divertido o ato de aprender. “Ajudar na consciência fonética, além de divertido, motiva os alunos para os estudos. É nessa fase que se forma a memória das crianças, tudo de uma forma lúdica e poética”, esclarece Vergiane.

 

 

Expansão para demais unidades escolares

 

O projeto já foi apresentado pela professora Gislene Pires de Camargo no Congresso Internacional de Literatura em Uberlândia-MG (Abralic), no Grupo PET – Programa de Educação Tutorial –, promovido pela UFT em Palmas, para o Curso de Pedagogia sobre contação de histórias da IFTO e no 6º Seminário de Letras da Universidade Estadual de Goiás (UEG), em Porangatu-GO. Após o comprovado sucesso da experiência, a Biblioteca Mágica será levada para outras escolas da rede municipal de educação de Palmas, contando com a parceria estabelecida com o curso de Letras do Instituto Federal do Tocantins (IFTO).

 

“Esse projeto nasceu de um sonho e isso sim é magia. A partir daí começamos a trabalhar com os alunos a imaginação e criatividade para entrar na história e fazer a mudança que eles desejam, pois no mundo da escrita e da imaginação tudo é possível. Pode se inventar um mundo feito de palavras onde tudo pode acontecer”, acredita a educadora Gislene.

 

Carla Fabiane de Jesus dos Santos, mãe de Pedro Vitor Santos de Oliveira, 9 anos, afirma que através da Biblioteca Mágica seu filho desenvolveu a imaginação. “Quando a professora pede para fazer um resumo e recontar a história de um livro, ele tem muito mais facilidade com a escrita e também com a fala”, explica.

 

 

Samille

 

As ideias e os desejos de Samille são sempre tão seus que nunca combinam com o que as outras pessoas pensam ou querem fazer. Devoradora de livros, tem opiniões a respeito de tudo que lê. Final de histórias, então, quer sempre mudar! Mas, opinar não basta para Samille.

 

 

Fonte: Secom Palmas

Sua opinião é muito importante: