Música nas escolas: estudantes participam de Orquestra Sinfônica em escola da Palmas

0
35
Foto: Elias Oliveira

Descobrir que a vida vai mais além do que imaginavam, é o que está acontecendo com os alunos integrantes da Orquestra Sinfônica de Cordas, da Escola Estadual de Tempo Integral Vila União, em Palmas. A Orquestra conta com 24 alunos, que antes não conheciam a música clássica e que estão descobrindo que a arte pode levá-los a vários lugares e ampliar o conhecimento.

A Orquestra Sinfônica foi criada em março de 2017, com o objetivo de promover a música de qualidade na escola. Depois do contato com os instrumentos, com as partituras e com a história dos grandes clássicos da música, os alunos estão aptos para realizarem apresentações nos eventos que estão sendo convidados.

A grande vitória da Orquestra foi chegar em 3º lugar, na categoria música de câmara, no Festival de Artes das Escolas de Palmas (FEAs), realizado na semana passada, na Capital. A Orquestra está com duas apresentações marcadas para o dia 11 de dezembro, uma na Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) e outra no Palácio Araguaia.

A Orquestra Sinfônica de Cordas esteve na Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), no dia 6 de dezembro, no lançamento da campanha Natal para Todos e fez uma apresentação que emocionou a todos os presentes.

Música

A coordenadora de projetos da Escola Estadual Vila União, Danila Lima, explicou que esses projetos musicais realizados pela unidade escolar ajudam os alunos a refletirem sobre a vida, a desejarem para si um futuro melhor. “Nós observamos que esses estudantes apresentam um comportamento diferente, eles estão mais próximos dos professores. Eles se mantêm afastados de atitudes e atos negativos. Percebemos que eles desenvolvem uma conduta de cidadão”, frisou.

Através da música e das apresentações, os alunos estão saindo da escola para apresentarem em instituições públicas e em outras unidades escolares e isso está proporcionando a eles o conhecimento sobre outras realidades. Recentemente, um grupo de alunos experimentou pela primeira vez um passeio no elevador, outros conheceram a Praça dos Girassóis, que não conheciam.

Atualmente, o projeto da Orquestra Sinfônica contempla 50 alunos. Eles participam de duas aulas de música por semana, como parte do conteúdo diversificado. Os ensaios acontecem no intervalo para o almoço.

“Esse trabalho com as orquestras é responsável pela divulgação e pela projeção que a Escola Estadual Vila União alcançou até o momento”, explicou Danila. A escola também conta com a Orquestra Sanfônica Amor Perfeito, que já é referência no Estado.

O maestro Teógenes Sá trabalha na Escola Vila União há dois anos. Ele contou que os alunos têm um repertório variado de músicas que vão desde os grandes clássicos às canções específicas para o período de Natal.

A estudante Sara Vitória Sousa, 10 anos, aluna do 5º ano do ensino fundamental, contou que no início dos estudos com a orquestra achou difícil aprender música. “Não conhecia as partituras, e com esforço passei a gostar das músicas clássicas”, disse.

Ana Vitória Alves, 12 anos, contou que foi na escola que aprendeu sobre a música clássica e seus grandes compositores. “Aprendi a tocar violino e mais outras coisas”, frisou.

Já Felipe Silva dos Santos, 18 anos, destacou novas aprendizagens. “Participar dessa orquestra me fez ser mais paciente, a aprender a não desistir das coisas com facilidade, a ser persistente, e me dedicar mais, porque a música requer treinamentos para chegarmos à perfeição”, esclareceu.

Felipe também ressaltou a alegria e a satisfação quando realiza uma apresentação e o público retribui com os aplausos. “Vem um sentimento de gratidão que nos ajuda a ser mais forte na vida”, comentou.

O maestro Teógenes nasceu no Maranhão, mas é tocantinense de coração. Ele contou que desenvolve esse trabalho com as orquestras com muito amor, porque ele mesmo, quando adolescente, participou de projetos sociais. “Eu desenvolvi minhas habilidades com a música nos projetos sociais, por isso acredito nos resultados. Alguns desses alunos podem ser maestros ou musicistas”, esclareceu.

Teógenes se emociona a cada apresentação com o desenvolvimento musical de cada componente da orquestra. “É uma alegria profunda quando vejo esses alunos aprendendo cada vez mais e descobrindo o mundo novo que a música proporciona”, destacou.

A diretora da escola, Luzenir Lourenço Araújo Correia, falou sobre o desenvolvimento dos alunos depois da formação da orquestra. “Percebemos que esta atividade tem sido de fundamental importância para nossos alunos, pois, além de ser uma diversão para eles, trabalha regras e limites para convivência social do indivíduo. Ressaltamos também o trabalho de inclusão com a participação de alunos especiais nesta atividade”, esclareceu.

 

Fonte: Seduc

Sua opinião é muito importante: