TRE rejeita contas de Dulce Miranda que vai recorrer; Advogado alega que o próprio MDB induziu a erro

Deputada Dulce Miranda - Crédito: Assessoria de Comunicação

Equipe Gazeta do Cerrado

As contas da Campanha da deputada federal reeleita, Dulce Miranda foram rejeitadas por 4 votos a 2, no TRE. A parlamentar também foi condenada a devolver R$ 765 mil do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC).

Dulce arrecadou R$ 2.468.800, dos quais apenas R$ 8.300 privados, e o restante do fundo que deveria ser, segundo a corte, para sua candidatura ou de outras mulheres.

O relator do caso, o juiz federal e membro do TRE-TO Adelmar Aires Pimenta, alegou que a parlamentar distribuiu R$ 865 mil para candidaturas masculinas, “sem o correspondente benefício para a candidata doadora”.

Foto: redes sociais

Nossa equipe ouviu o advogado dela, Sérgio do Vale, que afirmou que vai recorrer. Ele disse ainda que a deputada acreditava que os recursos poderiam ser aplicados também em candidaturas masculinas.

Segundo o advogado, os deputados federais homens podem aplicar a verba em candidaturas tanto masculinas, como femininas, dessa forma, Dulce acreditou que por ser deputada federal também teria esse direito.

Sérgio disse ainda que irão recorrer da decisão por tratarem de forma diferente a aplicação de verbas em campanhas masculinas e femininas. Outro fator alegado, é que o partido da deputada teria a induzido nessa aplicação.

“O próprio partido fez ela agir de forma equivocada”, disse.

 

Sua opinião é muito importante: