Redesat: Em meio a mobilização, Governo alega que não há extinção e que vai dialogar com servidores sobre reestruturação

Divulgação

Maria José Cotrim

O governo do Tocantins informou à Gazeta do Cerrado na tarde desta quinta-feira, 3, que não haverá extinção da Fundação Redesat. “O que há é uma incorporação com outra fundação que é a Unitins e que tem as outorgas dos canais”, frisou a assessoria do Governo.

A atual gestão alega ainda que a Redesat tem duas outorgas para rádio para Natividade e outra no Bico do Papagaio e que pretende buscar investimentos para colocar no ar.

Outro ponto afirmado e que a reestruturação será discutida com os servidores da atual Redesat. Eles estão montando uma proposta com sugestões para ser entregue à equipe de Comunicação do Governo.

Uma comissão de transição deve ser formada para receber o acervo e equipamentos da emissora e definir como ficará estrutura. A Tv passará a a ser destinada para programação educativa e cultural com conteúdos sob coordenação da Unitins.

Está marcada ainda uma audiência da área de comunicação do governo com o Sindicato dos Jornalistas do Estado.

Servidores se reúnem em frente à Redesat no movimento #ficaRedesat contra a extinção e a favor da história do órgão. Dentre a categoria dos Jornalistas há um clima de comoção com relação a situação e em prol do órgão. A mobilização em prol da Redesat conta com apoio da categoria de comunicação do Tocantins.

Sua opinião é muito importante: