Ex-presidiário é morto a tiros em suposto confronto com a PM

0
159
Ex-presidiário foi morto dentro de casa - Divulgação - PM-TO

matéria atualizada às 09 horas

Um jovem de 24 anos, morreu nesta sexta-feira, 4, na região sul de Palmas, em um suposto confronto com a Polícia Militar (PM). Segundo as informações da família de Willian Feitosa Lourenço, estava dormindo quando a polícia invadiu o quarto e atirou contra ele.

Lourenço é ex-presidiário e teria ficado preso durante quatro anos por tráfico de drogas mas ganhou a liberdade provisória há 4 meses atrás. A família disse ainda que o jovem estava trabalhando como ajudante de pedreiro e comparecia à Justiça sempre que era convocado.

A namorada do jovem também confirmou a versão de que ele estava dormindo quando os policiais chegaram e ordenaram que ele saísse do quarto. Momentos depois, pelo menos sete disparos foram ouvidos pelos vizinhos.

A PM informou que chegou na casa onde Willian morava depois de receber uma denúncia de que o jovem estava ameaçando outras pessoas com uma arma de fogo. A polícia disse que ele reagiu à prisão.

O suspeito foi socorrido ainda com vida e encaminhado para o Hospital Geral de Palmas (HGP), mas não resistiu aos ferimentos.

A perícia esteve na casa de Willian e uma arma foi encontrada no local.

Uma arma de fogo foi encontrada na casa da Willian – Divulgação PM-TO

Segue nota da PM sobre o ocorrido:

A PM foi informada que havia uns indivíduos ameaçando com arma de fogo os moradores do condomínio conhecido como Carandiru no bairro Aureny III. Quando a equipe da PM chegou no local os indivíduos correram em direção a uma quitinete. Os policiais fizeram o acompanhamento e conseguiram localizar um dos autores, Willian Feitosa de Barros, vulgo Bolota (24 anos). Os policiais solicitaram que se fizesse uma busca dentro da quitinete no intuito de achar arma ou droga, momento em que o Bolota então começou a jogar os pertences no chão e de repente puxou uma arma de fogo revólver Cal.38 e disparou contra os policiais militares, que de imediato revidaram a injusta agressão neutralizando o infrator, que foi socorrido até o HGP ainda com vida, mas logo após chegar no hospital a equipe médica informou que o indivíduo tinha ido a óbito. O local foi isolado, a perícia foi acionada e a equipe da PM se apresentou ao oficial fiscal de dia do 6° BPM que tomou as providências necessárias.
Sobre a conduta dos policiais envolvidos na ocorrência, a Polícia Militar destaca que a atuação deve seguir o que preconiza o POP – Procedimento Operacional Padrão da PM. Nos casos em que há resistência ativa por parte dos cidadãos infratores, seguindo os limites preconizados nacional e internacionalmente sobre utilização da força e arma de fogo, não restou outra alternativa senão preservar a integridade física da equipe. Informa também que já foram adotadas as providências preliminares, conforme orienta a legislação específica e os fatos serão apurados em Inquérito Policial Militar pela Polícia Judiciária.
Ascom PM

Sua opinião é muito importante: