Professores ameaçam não iniciar o ano letivo em Nova Olinda por falta de progressões

Reprodução Google Imagens

Equipe Gazeta do Cerrado 

Os servidores da área de Educação em Nova Olinda ameaçam não inciar o ano letivo devido a falta de pagamento das progressões. A classe alega que a troca de prefeitos na cidade prejudicou a categoria.

Uma reunião foi realizada com o atual prefeito do município com intuito de resolver o impasse das progressões. De acordo com os professores, uma projeto de lei enviado à câmara municipal reduz a tabela de pagamento em 4%, mesmo a classe sendo contra a redução.

Uma assembleia será realizada dia 31 de janeiro na Câmara Municipal com intuito de decidir os próximos passos da categoria.

Confira a íntegra de todas as alegações 

O troca-troca de prefeitos durante o ano de 2018 afetou profundamente o pagamento da progressão dos servidores, pois desde de janeiro de 2018 não foi efetuado nenhuma mudança de nível ou de classe em Nova Olinda.

A categoria juntamente com o sindicato tem realizado cobranças junto a administração mas essa mesma tem empurrado com a barriga o pagamento dessas progressões.

E o último feito do vice prefeito que estava ocupando o cargo de prefeito Antonio Ribeiro foi enviar um projeto de lei à câmara municipal reduzindo a tabela de pagamento em 4%. Mesmos os professores sendo contra a redução.

Diante disso o Sintet e alguns representantes dos professores reuniram-se no dia 09/01/2019 (ontem) com o atual prefeito em exercício para resolver o ‘impasse’ gerado pela secretária de educação Glauciene Magalhães: que só paga as progressões se os professores aceitarem reduzir o percentual de aumento em 4%.

Sua opinião é muito importante: