Estudante acusada de atropelar e matar médico vai à juri popular, decide Justiça

Iolanda Fregonesi vai responder pelo crime em liberdade - Reprodução TV Anhanguera

A estudante Iolanda Costa Fregonesi, de 22 anos, vai à juri popular pela acusação de homicídio qualificado.  A decisão foi dada nesta sexta-feira, 11 pelo juiz Luiz Zilmar dos Santos, da 1ª vara criminal de Palmas.

A estudante é a acusada de homicídio qualificado pela morte do médico Pedro Caldas, em novembro de 2017. Segundo as informações, ela estaria dirigindo sob efeito de álcool e sem carteira e habilitação quando o acidente aconteceu na TO-050. Na época, um colega do médico também foi atropelado.

Médico Pedro Caldas morreu após ficar meses em coma depois de ser atropelado por jovem – Divulgação

Na primeira audiência realizada em junho 2018, cerca de 12 testemunhas foram ouvidas pela Justiça. No dia 10 de outubro do mesmo ano, Iolanda também foi ouvida. O caso segue em análise desde então e não há uma previsão para que o julgamento aconteça.

A jovem vai responder pelo crime em liberdade.

Ainda segundo as informações da Polícia Civil, a estudante já havia atropleado um casal na avenida Tocantins, em Palmas, em 2016. O delegado Hudson Guimarães Leite disse ainda que durante as investigações, descobriu-se que a jovem nunca havia tirado carteira de habilitação.

“Na ocasião ela agiu da mesma forma que no caso do Pedro Caldas. Estava alterada e se recusou a fazer o teste do bafômetro. As vítimas estavam em uma motocicleta e tiveram fratura exposta. Na época, elas decidiram não representar criminalmente”, disse o delegado Hudson Guimarães Leite, durante as investigações.

*Com informações do G1 Tocanins

Sua opinião é muito importante: