O perfil e as curiosidades dos deputados federais tocantinenses que vão assumir mandatos

0
109
Deputados Federais Tocantinenses - Divulgação

Reportagem Especial- Rogério Tortola

No dia primeiro de fevereiro vão tomar posse os oito deputados federais eleitos para o mandato de quatro anos no Tocantins. A Gazeta levantou o perfil e demais curiosidades dos integrantes da nova legislatura.

Quatro estreantes

Das oito vagas do Tocantins na Câmara Federal, quatro são ocupadas por deputados que assumem o mandato federal pela primeira vez, Tiago Dimas, Osires Damaso, Eli Borges e Célio Moura, são os estreantes.

As demais vagas foram ocupadas pelos deputados reeleitos, Professora Dorinha, Dulce Miranda, Carlos Henrique Gaguim e Vicentinho Alves.

 Representação feminina

Com a saída da deputada Josi Nunes, que não conseguiu se reeleger,
a participação feminina, na bancada tocantinense, diminuiu ficando a cargo das deputadas, Professora Dorinha e Dulce Miranda, a tarefa de ser a voz da mulher tocantinense.

Ausência de representantes negros

Outra característica marcante da bancada federal tocantinense é ausência de representantes negros, todos os deputados são brancos.

Primeira experiência legislativa

Os deputados, Dulce Miranda, Vicentinho Jr, Professora Dorinha, apesar de reeleitos, nunca tinham exercido um cargo legislativo antes. Esta também é a situação dos estreantes, Tiago Dimas e Célio Moura.

Mais jovem e o mais experiente

O mais jovem é Tiago Dimas, que também foi o deputado mais votado no Estado, com 71.842 votos. Já o mais experiente é Célio Moura, que conquistou a vaga aos 65 anos.

Confira mais detalhes e a biografia de cada um dos deputados:

Tiago Dimas (SD)

Tiago Dimas recebeu mais de 71 mil votos – Divulgação

Filho do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, surpreendeu a todos com expressiva votação que alcançou na sua primara disputa a um cargo eletivo, foram 71.842 votos, colocando ele como o mais votado do Tocantins e o quinto em proporcionalidade do país.

Tiago é casado e tem um filho. Entre as bandeiras defendidas pelo candidato eleito, estão a defesa da cultura e o uso da tecnologia como ferramenta de apoio a gestão.

Esteve à frente da articulação de programas de tecnologia para a cidade, atração de investimentos como o Investe Araguaína e fortalecimento de ações como o movimento junino e a implantação do Estágio Remunerado para jovens na prefeitura de Araguaína. Se candidatou a Deputado Federal por acreditar que só com força política é possível executar os projetos que mudam a vida das pessoas.

Osires Damaso (PSC)

Osires Damaso – Divulgação

Eleito para seu primeiro mandato federal, com 58.728 votos. Osires Damaso tem 55 anos, foi presidente da Assembleia Legislativa por dois mandatos. Em 2002 e 2006, candidatou-se a deputado estadual, ficando como suplente.

Nesta condição, em 2009, assumiu em definitivo uma vaga na Assembleia. Em 2010, se elegeu deputado estadual, sendo reeleito em 2014.

Osires também é empresário, mas já foi frentista e vendedor de peixe na feira, tornou-se proprietário de um dos maiores supermercados do Estado.

É natural de Campinorte (GO), mas desde os dois anos de idade é morador da cidade de Paraíso do Tocantins. Atualmente, Damaso preside o Partido Social Cristão (PSC) no Tocantins.

Vicentinho Júnior (PR)

Vicentinho Júnior – Divulgação

Reeleito deputado federal com 49.868 votos, tem 33 anos e é filho do ex-senador Vicentinho Alves.

Foi eleito deputado federal pela primeira vez em 2014, pelo PSB. Posteriormente, trocou de partido, indo para o PR.

Tem feito várias críticas ao governador eleito Mauro Carlesse (PHS), deixando claro seu posicionamento oposicionista. É engajado com os principais agentes políticos do governo Bolosonaro. Assumiu o comando do PR no Tocantins.

Eli Borges (Solidariedade)

Eli Borges – Divulgação

Eli Dias Borges (SD) tem 58 anos, já teve sete mandatos e agora vai para o seu primeiro mandato na Câmara Federal. Recebeu 48.812 votos.

Durante sua trajetória política, foi eleito vereador da Capital por três mandatos consecutivos e, em 2002, conquistou pela primeira vez uma vaga no Parlamento Tocantinense. Nesta condição, foi reeleito no pleito de 2006 com 11.911 votos, sendo a maioria deles nas regiões central e sudeste do Tocantins, em municípios como Palmas, Gurupi, Guaraí, Colméia e Porto Nacional.

Eli se formou em contabilidade, Teologia e trabalhou como funcionário da concessionária Volkswagen em Porangatu (GO), da Telegoiás e do Banco do Brasil, órgão que prestou serviços durante 14 anos, inclusive em Palmas.

Eli Borges é casado com Maria Ulisses Pedroza Borges e tem três filhos: Thiago, Paulo Henrique e Lucas.

O parlemantar tem uma atuação marcante na defesa da família e está é uma das suas principais bandeiras.

Carlos Henrique Gaguim (DEM)

Carlos Gaguim – Divulgação

Gaguim iniciou sua vida política em atividades sindicais, representativas de classe e associativas quando foi diretor-administrativo da STIUEG. Em 1986, candidatou-se a uma vaga no Parlamento Estadual de Goiás, ficando na suplência. Em 1988, com a criação do Estado do Tocantins, mudou-se para o município de Miracema, capital provisória do Estado. Em seguida, mudou-se para Palmas, sendo pioneiro, um dos primeiros moradores da nova capital, onde fundou o Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, sendo o primeiro presidente municipal do PTB.

Foi vereador de Palmas-TO de 1992 a 1996. Em 1996 foi eleito deputado estadual e sua atuação como parlamentar se destaca pela luta para a industrialização do Estado.

Em 1998, foi eleito deputado estadual, exercendo mandato até 2009, período em que foi eleito presidente da Assembleia Legislativa de Tocantins entre 2007 e 2010
Tomou posse como governador do estado do Tocantins após a cassação do então governador Marcelo Miranda e seu vice, Paulo Sidnei, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), exercendo o mandato no período de 2009 a 2010.

Tentou a reeleição, sendo derrotado por Siqueira Campos no pleito de 2010 por uma diferença inferior a um ponto percentual.

Em 2014, foi eleito deputado federal. Em dezembro de 2015, foi eleito presidente da Frente Parlamentar pela Administração.

Em novembro de 2015, deixa o PMDB e ingressa no recém-criado Partido da Mulher Brasileira (PMB). Em março de 2016 filiou-se ao Partido Trabalhista Nacional (PTN), e assumiu o comando do partido em Tocantins.

Após a renúncia de Eduardo Cunha à presidência da Câmara dos Deputados, Gaguim se candidatou ao cargo em julho de 2016, não sendo eleito.
Em 2018 Gaguim, aos 57 anos, foi reeleito com 48.012 votos.

Professora Dorinha (DEM)

Deputada Professora Dorinha – Divulgação

Dorinha começou sua carreira profissional como professora no Educandário Espírita Paulo de Tarso, Goiânia, GO,/ Brasil, 1984-1986. Passou por diversas instituições ocupando cargos como como supervisora, coordenadora, diretora até chegar ao cargo de Secretária de Educação e Cultura do Tocantins, de 2000-2009.

Foi eleita deputado federal em 2014, pelo DEM e reeleita em 2018, aos 54 anos, com 48.008 votos.

Tem se destacado na conquista de recursos para o Estado, principalmente para educação, área que é respeitada nacionalmente e já chegou a ser cotada para ocupar cargos no atual governo, considerando que a parlamentar além de capacidade técnica, é do mesmo partido que o Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM) e homem forte de Bolsonaro. Atualmente coordena a bancada federal do Tocantins.

Dulce Miranda (MDB)

Deputada Dulce Miranda – Crédito: Assessoria de Comunicação

Dulce Miranda foi a deputada federal mais votada no estado, com 75.934 votos, na sua primeira investidura na carreira parlamentar em 2014.

Bacharel em Direito, foi primeira-dama do Estado entre 2002 e 2009. Atuou como secretária estadual de Ação Social e do Trabalho, em 2003, com especial atenção ao empoderamento das mulheres tocantinenses, geração de emprego e renda e em defesa das comunidades tradicionais.

Como vice-líder do PMDB na Câmara dos Deputados, participou e atuou na bancada pelo compromisso com a aprovação da PEC 011/2015 na Comissão Especial da PEC 011/15, do Tribunal Superior do Trabalho.

Ela também é membro da Frente Parlamentar da Primeira Infância, Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviço e Empreendedorismo; Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária e da Frente Parlamentar contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Aos 55 anos foi reeleita com 40.719 na eleição de 2018. A deputada deve ter uma atuação voltada para o social e municipalismo.

Celio Moura (PT)

Deputado Célio Moura – Divulgação

Célio Moura é advogado há 40 anos e natural de Arapuã, Minas Gerais. Tem 65 anos é casado e pai de seis filhos.

Chegou ao hoje Tocantins, na época o Nortão de Goiás, em 1978, no auge dos conflitos de terra e da pistolagem. Advogou para a FETAEG – Federação dos Trabalhadores da Agricultura de Goiás.

Defendeu, entre outros personagens da história do país, o Padre Josimo Tavares, símbolo da disputa pela Terra, que foi assassinado no Bico do Papagaio.

Atuou na Comissão Pastoral da Terra (CPT). Criou a primeira subseção da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, do norte de Goiás, em Araguaína. Também foi Conselheiro da OAB.

O engajamento junto aos movimentos sociais o levou a política em 1982, ajudou a fundar o PT e participou na década de 80 da luta pela criação do Tocantins, engajado em vários atos e reuniões.

Foi candidato a Governador do Tocantins, em 1990 e 1998. Disputou a Prefeitura de Araguaína nos anos de 2004 e 2008 e se candidatou ao Senado em 2006. Em 2018 Célio Moura foi candidato a vice-governador na chapa com Amastha, nas eleições suplementares. Em seguida se candidatou a Deputado Federal pelo Partido dos Trabalhadores, de Tocantins, sendo eleito pela Frente Alternativa com 18.167 votos.

Célio Moura chega à Câmara dos Deputados pela primeira vez, após conseguir 18.167, votos na eleição de 2018. Ele se junta a maior bancada da Casa a do PT e deve ter uma atuação condizente com sua biografia, de oposição e defesa dos movimentos sociais.

Sua opinião é muito importante: