Procon orienta: compare preços e orçamentos nos gastos de início de ano

0
71

Comparação de preços,orçamentos ajuda na negociação de contas

Janeiro é mês em que tradicionalmente se concentram compras e prazos para renovação de serviços de educação, seguros e o vencimento de alguns impostos. O que naturalmente aperta o orçamento do consumidor. Para não deixá-lo em desvantagem, o Procon Palmas dá algumas orientações que podem auxiliar neste período, tanto a economizar quanto a evitar problemas decorrentes da falta de informação sobre relação de consumo.

A primeira dica é útil para qualquer necessidade, mas perfeitamente visualizada nas papelarias e instituições financeiras que vendem seguros. “A comparação de preço é a principal ferramenta do consumidor. A variação é grande de um estabelecimento para outro, especialmente, em um mês com grande procura”, alerta o superintendente do Procon Palmas, Dulcélio Stival.

Consultar preços para o perfil de serviços que você necessita dá ao consumidor o poder de negociação ideal para se obter descontos no prestador de sua escolha.

No caso de papelarias, uma compra mais racional e econômica pode ser garantida se o consumidor tiver a ciência do seu orçamento e foco na funcionalidade dos materiais escolares. Isso porque produtos com personagens de marca registrada são naturalmente mais caros que produtos de mesmas características sem personalização. “Muitas vezes aquele produto mais caro pode ter até características inferiores às de outro produto sem personagem. Por isso a comparação precisa ser feita com atenção”, alerta o superintendente.

Em bancos e seguradores, solicitar um orçamento, conforme o seu perfil e necessidade, pode ser uma forma de comparar serviços e propostas. “Nestes casos, a negociação é sempre cabível. Com informação na mão do que os concorrentes oferecem, o consumidor pode pedir propostas que podem cair melhor em seu bolso ao prestador de sua preferência”, aconselha Stival.

Nota fiscal detalhada

Outro conselho importante é solicitar nota fiscal de todo serviço e compra realizada, seja sobre a revisão de veículo ou a compra de produtos, por exemplo. Na nota devem estar identificados tanto o prestador ou vendedor quanto o consumidor ou recebedor do serviço, assim como estar descritos todos os produtos e serviços comercializados. Assim, podem ser evitados problemas caso seja necessária devolução ou queixa futura já que notas genéricas podem dificultar a comprovação da aquisição.

Prestação de contas da escola

No caso da lista de material escolar solicitada pelas escolas, estas também devem estar detalhadas. Como costumam ser extensas, o pai ou responsável pelo aluno também precisa saber que é possível, sim, reaproveitar material escolar do ano anterior, inclusive, da relação de materiais que ficam sob responsabilidade da escola. “Os pais podem pedir verificar o que foi usado e o que sobrou do ano anterior para realizar o reaproveitamento este ano. A escola é obrigada a prestar conta do que utilizou e isso os pais podem solicitar não de um ano para o outro, mas a qualquer tempo”, orienta Stival. Desta forma, também é possível economizar.

Procon Palmas

Para seguir o perfil do órgão municipal nas redes sociais procure por Procon Palmas no Facebook. Mais orientações o consumidor da Capital pode obter diretamente no Procon Palmas, onde também podem ser realizadas queixas sobre prestadores ou empresas para mediação e solução das mesmas. Quando isso não é suficiente, processos administrativos que podem ser abertos ali mesmo.

O atendimento acontece das 8 às 18 horas de segunda a sexta-feira no Resolve Palmas da Avenida JK. O Procon Palmas, inaugurado em dezembro de 2018, já faz parte do Sistema Nacional de informações de Defesa do Consumidor (Sindec), ferramenta de monitoramento dos atendimentos realizados pela rede de proteção do consumidor.

Sua opinião é muito importante: