Maior parte dos postes caídos tem relação com bebida e uso do celular no volante, aponta perícia

Maior parte dos postes caídos tem relação com bebida e uso de celular no volante - Reprodução - G1 Tocantins/TVAnhanguera

Um total 436 postes foram derrubados por motoristas no Estado somente em 2018 e neste ano, em todo Estado, nove condutores já causaram acidentes envolvendo essas estruturas. A média no ano passado é de 1,19 postes caídos por dia. Em 2017, 434 postes foram derrubados. Conforme o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Tocantins (Sindiperito), a avaliação é de que a maior parte desses acidentes está ligada à ingestão de bebidas alcoólicas ou do uso do celular enquanto dirige.

“Boa parte desses acidentes está relacionada com o hábito de beber e dirigir. Já em outros casos, essas colisões são provocadas porque algumas pessoas costumam ler e digitar mensagens no smartphone enquanto dirigem”, ressalta o vice-presidente do Sindiperito, Silvio Jaca.

Diante dos dados, Jaca orienta que os motoristas devem ter consciência que, o acidente que termina com um poste no chão, além de colocar em risco a vida do condutor e de outras pessoas, também causa grandes danos para o bolso. Isso porque a estrutura, uma vez derrubada, terá que ser paga por quem provocou o acidente.

“Lidamos todos os dias com casos de perícia envolvendo a imprudência no trânsito. Parece clichê ficarmos batendo na mesma tecla, mas direção e álcool é uma conta que não dá certo. E quanto ao celular, com certeza a mensagem que você iria mandar ou a ligação que está para ser atendida, podem ficar para depois. É importante o condutor manter a atenção no trânsito, porque isso pode poupar vidas, incluindo a sua”, aconselha.

O vice-presidente também lembra que a posição dos postes, principalmente em Palmas, é muita próxima ao meio fio, o que faz com que os motoristas precisem ficar mais atentos à direção. “Uma saída de pista, ainda que pequena, provavelmente pode causar uma colisão com a estrutura”, observa.

O representante ainda salienta que após uma colisão contra o poste, o condutor deve ter alguns cuidados para não colocar a vida dele e dos passageiros, se for o caso, em risco. “As pessoas não devem sair do veículo antes do socorro chegar, porque elas têm menos chance de levar um choque elétrico, a menos que corra risco de incêndio, porque nessa situação o melhor a fazer é se retirar do carro. E quando for sair não se devem colocar, de uma só vez, os dois pés no chão. Também é importante verificar se tem fio sobre o veículo, porque se existir, a primeira coisa a fazer é chamar o socorro”, esclarece.

Lei

 O motorista que derrubar um poste no Tocantins pode ter que pagar mais de R$ 10 mil pelo dano. Segundo a Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia no Tocantins, a cobrança dos danos causados pela colisão em postes da rede de energia se baseia na Constituição Federal e Código Civil, que tratam do dever de indenizar danos causados a pessoas físicas ou jurídicas.

Conforme a empresa, o custo médio de substituição de postes é de R$ 3 mil, e deve ser pago pelo condutor responsável pela colisão com o poste de energia elétrica. Segundo a operadora, quando um transformador é afetado no acidente envolvendo a estrutura, esse custo pode ultrapassar os R$ 10 mil.

 

 

Fonte: Ciências da Comunicação

Sua opinião é muito importante: