O futuro dos políticos tocantinenses que ficarão sem mandato a partir de fevereiro

Senador Vicentinho Alves - (divulgação)

Maria José Cotrim

A partir de primeiro fevereiro vários Políticos tradicionais do Tocantins estarão sem mandato. Muitos, após muito tempo tendo a atividade política como principal atribuição.

Um deles será o senador Vicentinho Alves com 30 anos de vida pública. Ele irá cuidar das questões Pessoais, conforme apuramos. Ele já teve mandatos desde prefeito até Senador.

Ataídes Oliveira – Divulgação

O senador Ataídes Oliveira também retomará suas atividades empresariais, ele que tem várias empresas e que assumiu no Senado em razão da morte do senador João Ribeiro. Ele atualmente ainda é presidente do PSDB. Ataídes pretende se manter no meio político, segundo apuramos.

Da Câmara Federal dois deputados que perderam o mandato: César Halum e Lázaro Botelho estão com várias possibilidades.

Lázaro Botelho (Créditos: Najara Araujo – Acervo Câmara dos Deputados)

Botelho que é político experiente pode se manter na Câmara se algum colega tirar licença. O governo teria interesse nesta articulação para manter o parlamentar nas articulações.

Cesar Halum – Foto: Douglas Gomes

Já Halum é cotado para assumir o comando da pasta de Agricultura do Tocantins. Ele diz que ainda não recebeu convite formal do governador, mas seu nome é cogitado.

Josi Nunes (Divulgação)

A deputada Josi Nunes, de Gurupi, voltará a dar aulas numa Universidade. Ela não deixa de ser cotada para a disputa de 2020 na cidade, onde sempre foi bem votada e onde a mãe é atual vice-prefeita.

À nível estadual vários Políticos também deixarão os mandatos no final deste mês. Dentre eles estão o petista Paulo Mourão, que se dedicará também a suas atividades empresariais. Solange Duailibe, Stalin Bucar e Rocha Miranda também estarão sem mandatos. Bucar já afirmou que pretende disputar a prefeitura de Miranorte no próximo ano.

Divulgação

Caso Amastha

O ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha também está dentre os sem mandatos e tem se dedicado às suas empresas.

Sua opinião é muito importante: