Rachado, MDB se reúne para definir disputa ao Senado e não aceitará candidaturas avulsas

Onze dos 13 senadores que comporão a bancada do MDB na próxima legislatura se reuniram, na tarde desta terça-feira, 29, no gabinete da líder da bancada, Simone Tebet (MDB-MS). Os congressistas discutiram quem assumirá a liderança da bancada e quem vai se candidatar à presidência do Senado na próxima sexta-feira, 1º, quando os parlamentares tomarão posse.

Simone e Renan Calheiros (MDB-AL) são postulantes à presidência da Casa. Os dois, no entanto, adotam estratégias opostas: enquanto a sul-matogrossense almeja o cargo abertamente, Renan, que já presidiu o Senado quatro vezes, trabalha nos bastidores e nega publicamente a intenção de voltar ao cargo. A líder do MDB estima ter sete dos 13 votos possíveis dentro da bancada, a mais numerosa da Casa.

Estavam presentes, além da dupla, os senadores Dário Berger (MDB-SC), Eduardo Braga (MDB-AM), Eduardo Gomes (MDB-TO), Fernando Bezerra (MDB-PE), Jader Barbalho (MDB-PA), Luiz Carlos do Carmo (MDB-GO), José Maranhão (MDB-PB), Marcelo Castro (MDB-PI) e Márcio Bittar (MDB-AC).

Ausentes, Confúcio Moura (MDB-RO) e Jarbas Vasconcelos (MDB-PE). O grupo reunido no gabinete de Simone Tebet contou ainda com os caciques Romero Jucá (MDB-RR) e o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). Em fim de mandato, eles não participarão da eleição porque não conseguiram se reeleger em outubro.

Eleito pelo Solidariedade, Eduardo Gomes se filiou hoje ao MDB.

O Partido informou que não aceitará nenhuma candidatura avulsa.

Fonte: Congresso em Foco

Sua opinião é muito importante: