Polícia na AL: suspeita de fantasmas recai sobre três gabinetes; suposto dano de R$ 1,5 milhão

Assembleia Legislativa do Tocantins - Foto - Silvio dos Santos

Um dia antes da posse, a Polícia Civil cumpre mandados de intimação, busca e apreensão em uma operação que investiga supostos funcionários fantasmas na Assembleia. Os mandados são cumpridos na manhã desta quinta-feira, 31 e a estimativa é de que o esquema causou mais de R$ 1,5 milhão em danos.

Há evidências que pelo menos 11 servidores recebiam sem trabalhar, os funcionários estariam ligados aos gabinetes dos deputados Toinho Andrade (PHS) e Amélio Cayres (SD). Um dos investigados era servidor fantasma ligado a presidência da casa de leis no período em que Osires Damaso (PSC) foi presidente.

Segundo a polícia, os deputados não são investigados neste momento.

Agentes da Delegacia de Repressão a Crimes de Maior Potencial contra Administração Pública (Dracma) cumprem mandados em Palmas e Porto Nacional.

A Gazeta segue acompanhando o caso.

 

Sua opinião é muito importante: