Vistoria da Defensoria Pública constata ausência de médicos em Dianópolis

Segundo a equipe do Núcleo Aplicado das Minorias e Ações Coletivas (Nuamac) da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) em vistoria realizada no Hospital Regional de Dianópolis (HRD) no Município, constatou irregularidades para o atendimento, entre elas, a ausência de médicos em especialidades básicas como pediatria, ginecologia e ortopedia. Realizada nesta quinta-feira, 31, a vistoria também identificou problemas mecânicos em ambulâncias, o que impede a utilização dos referidos veículos.

Segundo Coordenadora do Nuamac Dianópolis, a defensora pública Jade Sousa Miranda destacou a falta de vários itens essenciais para o bom funcionamento da Unidade. “Na visita pode ser verificado que o HRD persiste com a ausência de médicos suficientes para prestar o atendimento da população local e região. Além disso, foi apurado que duas ambulâncias do hospital estão na oficina em Palmas com problemas mecânicos”, afirmou a Defensora, considerando que a Unidade atende, além do município de Dianópolis, as cidades vizinhas e parte do Estado da Bahia.

A vistoria teve como principal objetivo certificar a situação dos pacientes, dos profissionais de saúde, infraestrutura do prédio, abastecimento de medicamentos, falta de profissionais e equipamentos hospitalares, bem como, revisão na carga horária estabelecida nas escalas médicas. Além disto, colher informações sobre a causa da morte de uma criança de dois anos, no último dia 13, com suspeita de leishmaniose visceral, situação que causou comoção na população.

O analista jurídico Marcel Cirqueira Lopes Correa e os assessores do Nuamac Magno Gledson Romão Moura e Murilo Miranda de Oliveira também participaram da vistoria. A partir do que foi verificado no HRD, o Nuamac Dianópolis vai oficiar a Secretaria Estadual da Saúde a fim de obter informações sobre as medidas que serão adotadas para resolver o problema.

fonte: Ascom

Sua opinião é muito importante: