Associação Comercial de Porto pede que governo libere ponte até conclusão de laudo

0
95
Após interdição da ponte, moradores fazem a travessia a pé - Divulgação

Equipe Gazeta do Cerrado

A Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropastoril de Porto Nacional (Acisa-PN) encaminhou nota na qual discorda da interdição da Ponte. A entidade quer que o governo libere o tráfego até sair o laudo técnico e pede diálogo para discutir alternativas eficazes e rápidas.

O governador quando interditou a ponte alegou que a medida é para preservar vidas.

Veja a íntegra da nota da Associação sobre o assunto:

NOTA PÚBLICA

A Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropastoril de Porto Nacional (Acisa-PN), vem solidarizar com os seus associados e com a comunidade portuense e repudiar a forma intempestiva tomada pelo Governador Mauro Carlesse, que sem amparo técnico decidiu bloquear o acesso da Ponte sobre o Rio Tocantins, em Porto Nacional, deixando o município e os moradores da margem esquerda isolados o que tem trazido um prejuízos para o comércio, indústria e turismo, como hotéis, restaurantes, comerciantes nas praias de Porto Nacional, uma vez que inúmeros serviços foram suspensos.

Atualmente a ponte estabelece relações econômicas entre as comunidades, o que resulta em uma relação comercial forte para a Região e o Tocantins. A Acisa-PN, reitera o respeito a decisão do Executivo, no entanto, solicitamos que o senhor Governador Mauro Carlesse reveja tal decisão e, se possível, libere até a conclusão do laudo técnico, o tráfego de veículos de passeios e motos, assim como dos ônibus que fazem o transporte intermunicipal e interestadual, que suspenderam os serviços à população.

Solicitamos a construção de porto, destinado ao atracamento da balsa para a travessia de caminhões, máquinas agrícolas, e veículos de transporte de cargas.

A diretoria da Acisa-PN se coloca a disposição do Governo do Estado do Tocantins em contribuir para que juntos, por meio de diálogo, sejam discutidas alternativas eficazes e rápidas para que a sociedade e o comércio sofram o menor impacto possível com a interdição da ponte.

Porto Nacional, 09 de fevereiro de 2019

Wilson Neves da Silva
Presidente da Acisa-PN

Sua opinião é muito importante: