Morte de Boechat devasta país ; Jornalistas do Tocantins lamentam

Jornalista Ricardo Boechat morreu em um acidente de helicóptero - Divulgação Band

Equipe Gazeta do Cerrado

A morte do jornalista Ricardo Boechat nesta segunda-feira, 11, após um acidente de helicóptero em São Paulo, gerou muita repercussão em todo o país. Jornalistas do Tocantins lamentaram o incidente e nas redes sociais o sentimento é de tristeza.

O professor de jornalismo da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Wolfgang Teske, descreveu a morte do profissional como uma perda muito grande para o Brasil.

“A linha que ele adotava de análise e comentários é necessária para o país. Ele tinha uma clareza na apresentação de suas ideias, de fazer uma leitura do Brasil e do mundo. Eu vejo assim, se o jornalismo perde, o Brasil também perde. Penso que os políticos, na grande maioria, não gostavam dele, pela independência que ele tinha de fazer seus comentários. É uma perda muito grande para a sociedade brasileira”, pontuou Wolfgang.

A jornalista Valéria Kurovski, também sentiu a perda que esse momento pelo qual passamos é estranho.

“Só posso resumir que é uma perda humana e profissional irreparável para os brasileiros em tempos estranhos”.

Val Rodrigues disse: “assisti ontem parte do Canal Livre com ele sobre a Reforma da Previdência. Era sempre tão certeiro e coerente nas abordagens”, disse a jornalista Val Rodrigues.

Luiz Henrique Machado, lamentou a morte e falou que sempre foi fã de Boechat. “Que triste. Uma grande perda. Eu era fã dele desde sempre”.

A radialista de Palmas, a jornalista Maria Teresa Lemos afirmou: “Um tanto quanto chocada com sua morte, Boechat! Um exemplo pra mim como jornalista! Inteligentíssimo! Como eu gostava de te ouvir no rádio! Triste! Muito triste!”, disse.

O Sindicato dos Jornalistas do Tocantins (Sindijor – TO) emitiu uma nota dizendo que:

“Começamos a semana computando perdas, dessa vez foi Ricardo Boechat. O Sinjdor-TO se une aos jornalistas de todo país e faz coro a tristeza, ao lamento pela perda de forma tão trágica de alguém que desde cedo trilhou o caminho do investigar, correr em busca da informação e produzir notícias. Dia triste para o jornalismo brasileiro, perde-se hoje mais um referencial do trabalho crítico e pontual. Aos familiares rogamos a Deus pelo conforto e entendimento dos desígnios divinos. A Boechat, o agradecimento pelo exemplo de profissional”.

 

Sua opinião é muito importante: