Após 75 dias, mais de 1.200 vigias que atuam em escolas receberão pagamento dia 18, diz Seduc

0
99
Seduc - Divulgação

Equipe Gazeta do Cerrado

Centenas de servidores que atuam desde o início do ano nas escolas do Tocantins por todo Estado estão aflitos e preocupados com a situação. Alguns aguardam a formalização da contratação bem como os salários. Alguns chegaram a relatar nas redes que estão passando por uma situação difícil sem os pagamentos, outros têm contado com a solidariedade dos colegas.

São vigias, merendeiras e professores que esperam da Seduc uma resposta sobre quando irão receber ou de quando de fato serão incluídos na folha.

A Gazeta procurou o governo que respondeu sobre a Situação: ” A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informa que a indenização dos cerca de 1.200 vigias em atuação nas unidades escolares do Estado foi executada no final da tarde desta sexta-feira, 15, e estará disponível na conta dos servidores na segunda, 18″, disse.

A pasta explica ainda que por ter caráter indenizatório, no caso de servidores que possuem conta bancária na modalidade conta-salário, poderá  haver – em casos específicos – a devolução da ordem de pagamento, e os servidores serão orientados a buscar a agência bancária para regularizar a situação. Isso porque a conta-salário é exclusiva para receber os proventos efetuados mensalmente, na folha de pagamento do Estado.

“Alarme falso”

Vários vigias acharam que foi um alarme falso a informação de que iriam receber o pagamento hoje, o que não aconteceu. “-É bomdeixar bem claro que toda essa Revolta do pessoal da educação principalmente os vigias das escolas estaduais que estão desde 01/01 sem Receber, foi a informação que o pagamento seria creditado ontem à noite”, afirmou um servidor. Alguns vigias chegaram a ir ao banco neste sábado checarem se tinham recebido. Alguns pensaram em não ir mais trabalhar diante da falta de salários.

A Secretaria de Educação nas últimas semanas tem dito que está em base final das contratações e que iria agilizar a formalização dos contratos que ainda não foram feitos, o que ainda não aconteceu. Na semana passada a pasta disse que estava em fase de seleção de currículos para algumas vagas, no entanto, o caso dos vigias é um dos que mais gera indignação dentre os servidores porque eles atuam desde o início do ano mesmo com todo impasse de exonerações e retorno. São mais de 75 dias sem receber.

Sua opinião é muito importante: