Filadélfia: Pastor é condenado por estupro e ameaça

Reprodução Google Imagens

O pastor Flávio Costa da Silva, de 45 anos, foi condenado a 12 anos e um mês pela Justiça de Filadélfia, norte do Tocantins, nesta sexta-feira (15). A condenação é pelos crimes de estupro e ameaça.

O crime ocorreu em fevereiro de 2016, conforme denunciou o Ministério Público Estadual (MPE). Na época, Flávio Costa da Silva, usou da condição de pastor evangélico e obrigou uma jovem de 15 anos a manter relação sexual de forma forçada.

A adolescente era frequentadora da igreja, comandada pelo pastor.

Conforme a denúncia do MPE, o crime aconteceu, quando a jovem foi dormir na casa de uma tia. Foi então, que Silva se dirigiu até o local e entrou no quarto falando que faria uma oração, momento em que tirou a roupa da jovem e forçou a relação, tampando a boca da moça para evitar gritos. A tia percebeu o barulho no quarto e perguntou o que estava acontecendo, quando foi ameaçada. Ele dizia para ela ficar quieta ou a mataria.

O laudo pericial de corpo de delito confirmou a ocorrência de relação sexual, confirmando a violência no ato.

Prisão em Brasília e crimes na Bahia

Antes da condenação, o pastor Flávio Costa da Silva estava foragido da Justiça, quando foi autuado pela Polícia Militar de Brasília por embriaguez ao volante. Durante a abordagem foi constado que havia um mandado de prisão expedido pela Justiça do Tocantins.

Foi confirmada ainda a existência de uma Medida Protetiva da Lei Maria da Penha, no Poder Judiciário da Bahia. O pastor ainda é réu em um processo de crime doloso contra a vida, cometido no Estado da Bahia.

Sua opinião é muito importante: