Lixo Seletivo: Sustentabilidade começa em casa

Você sabia que a reciclagem de uma simples latinha de alumínio economiza energia suficiente para manter a sua TV ligada por três horas? Pois é! Com esse exemplo prático, fica ainda mais fácil entender por que devemos investir no lixo seletivo.

Se você compreende a importância desse ato sustentável, mas não sabe nem por onde começar a separação, considere primeiramente que existem três tipos de resíduos: orgânicos, recicláveis e não recicláveis.

Para saber o que faz parte de cada grupo e como separá-los em casa, fique ligado neste post e aprenda todos os detalhes. Nós garantimos que não é difícil. Basta começar!

POR QUE INVESTIR NO LIXO SELETIVO?

As vantagens de separar o lixo doméstico são indiscutíveis. Além de aliviar os aterros sanitários, grande parte dos resíduos sólidos podem ser reaproveitados. Isso economiza os recursos naturais do planeta e gera renda para milhares de pessoas que trabalham como catadores.

Para você ter uma ideia da destinação de cada tipo de resíduo, considere o seguinte:

  • os orgânicos passam por um processo de compostagem, o que inclusive também pode ser feito em casa;
  • os recicláveis (papel, papelão, plástico, vidro e metal) são devidamente separados nas cooperativas de catadores e, então, encaminhados para as indústrias de transformação;
  • já os resíduos não recicláveis (papel higiênico, fraldas descartáveis e guardanapos sujos, por exemplo) são destinados aos aterros sanitários em valas impermeabilizadas, de modo a evitar a contaminação do solo durante o processo de decomposição.

Ok, mas em termos práticos, o que isso tudo significa? Confira abaixo alguns dados fornecidos pelo Ministério do Meio Ambiente:

  • mil quilos (uma tonelada) de papel reciclado economiza cerca de dez mil litros de água e evita o corte de aproximadamente dezessete árvores adultas;
  • a cada cem toneladas de plástico reciclado, uma tonelada de petróleo é economizada;
  • um quilo de vidro quebrado transforma-se em um quilo de vidro novo. Além disso, o vidro pode ser infinitamente reciclado;
  • para produzir mil quilos (uma tonelada) de papel são necessários cem mil litros de água e cinco mil quilowatts de energia. Já para produzir essa mesma quantidade de papel reciclado, bastam dois mil litros de água e metade dessa energia.

COMO SEPARAR CORRETAMENTE?

Agora que você já conhece os três tipos básicos de resíduos — orgânicos, recicláveis e não recicláveis —, vamos às dicas úteis para fazer a separação doméstica corretamente. Via de regra, saiba que serão necessários pelo menos dois recipientes.

NUNCA MISTURE RECICLÁVEIS COM ORGÂNICOS

Essa é a regra básica para começar a investir no lixo seletivo. Os resíduos orgânicos (cascas de frutas e legumes, sobras de alimentos etc) devem ser depositado em uma lixeira específica para isso. Os materiais recicláveis, por sua vez, deverão ser armazenados em outro recipiente.

Mas você deve estar se perguntando: o que, de fato, é reciclável? Vamos lá: considera-se reciclável qualquer resíduo que pode ser transformado, em parte ou ao todo, para retornar à cadeia produtiva.

Exemplos:

  • papéis;
  • jornais;
  • revistas;
  • papelão;
  • plástico;
  • caixas;
  • garrafas PET;
  • latas de alumínio;
  • embalagens plásticas de cosméticos ou produtos de limpeza;
  • canos;
  • produtos eletrônicos;
  • demais recipientes retornáveis em geral.

SEPARE OS RESÍDUOS SECOS E ÚMIDOS

Não tem problema se você colocar na mesma lixeira todos os tipos de recicláveis juntos (papéis, plásticos, embalagens etc). Desde que esses materiais estejam secos! Na cooperativa de catadores, os profissionais farão uma nova triagem para separar cada material específico.

Portanto, na sua rotina doméstica, ter um recipiente maior para o lixo seco e um menor para o lixo úmido é o suficiente.

LAVE E SEQUE MINIMAMENTE AS EMBALAGENS

Quanto às embalagens do tipo longa vida, latas, garrafas de vidro, frascos de produtos em geral etc, recomenda-se que todos esses recipientes estejam minimamente limpos e secos antes de depositá-los para a coleta. Assim, você garante que os produtos realmente poderão ser reutilizados, além de facilitar a tarefa dos catadores.

Não precisa lavar, esfregar ou passar sabão. Não é disso que estamos falamos. Até porque, se você for gastar litros e mais litros de água para limpar todas as embalagens, não estará agindo de forma sustentável. Mas saiba que esse cuidado mínimo para retirar o excesso de produto das embalagens é essencial.

RASGUE OS PAPÉIS ANTES DE COLOCÁ-LOS NA LIXEIRA

O ideal é rasgar os papéis (ou até dobrá-los) em vez de amassá-los, pois, assim eles ocuparão menos espaço, favorecendo o transporte. E lembre-se: papéis sujos, como papel higiênico e guardanapos, não são recicláveis. Papéis molhados podem ser reciclados, desde que estejam limpos e separados dos secos.

EMBRULHE OS MATERIAIS CORTANTES

Vidros e demais itens cortantes devem estar devidamente embalados ao serem depositados para a coleta. Afinal, não é nada consciente colocar a integridade física dos trabalhadores em risco, ok? Para essa tarefa, utilize jornais velhos ou plástico-bolha. Na falta desses materiais, armazene os itens cortantes em caixas de papelão. No fim das contas, todos serão reciclados.

QUAIS SÃO OS MATERIAIS RECICLÁVEIS?

Para esclarecer por completo as suas dúvidas, listamos a seguir outros exemplos de materiais recicláveis que fazem parte dos grandes grupos de coleta. Veja:

  • papéis: praticamente todos os tipos são recicláveis, excetuando-se os papéis com restos orgânicos, fitas adesivas, fotografias e papel-carbono;
  • plásticos: cerca de 90% do lixo produzido no mundo inteiro é à base de plástico. Por isso, merecem atenção especial na coleta, como garrafas PET, tampinhas, sacolas de supermercado e até mesmo brinquedos quebrados;
  • vidros: desde que limpos e secos, praticamente todos são recicláveis, com exceção de lâmpadas, cristais, espelhos, vidros temperados, cerâmicas e porcelanas;
  • metais: poderão ser reciclados todos os tipos de latas de alumínio, assim como tampinhas, pregos e parafusos. No entanto, clipes, grampos e esponjas de aço ficam de fora da lista.

Pronto! Com essa leitura, você já está preparado para incorporar mais essa prática ecológica na sua rotina doméstica. Uma boa dica é incluir as crianças no processo, pois, assim, elas começarão a desenvolver o pensamento sustentável desde cedo.

Quanto aos serviços de coleta de lixo seletivo na sua cidade, certifique-se sobre os horários junto à prefeitura e organize-se. São essas pequenas ações que farão uma enorme diferença no futuro!

Sua opinião é muito importante: