Universitário é encontrado morto com ferimentos na cabeça dentro de elevador da USP

Divulgação USP

A Polícia Civil investiga as causas da morte do estudante de geografia Filipe Varea Leme, de 21 anos, encontrado dentro de um dos prédios da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Segundo a universidade, o aluno da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), trabalhava como monitor na Poli.

O corpo foi encontrado por volta das 15h40 dentro de um elevador destinado a pessoas com deficiência física. Sobre o corpo do estudante havia um armário.

O estudante foi encontrado com ferimentos na cabeça e a polícia investiga a hipótese de que Filipe carregava o armário que caiu sobre ele.

Cinco testemunhas foram ouvidas pela polícia. O caso foi registrado no 93º DP, no Jaguaré, como morte suspeita e acidental.

Em nota, a USP afirmou que a Escola Politécnica (Poli) e a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), “lamentam profundamente o falecimento do estudante de geografia e monitor da Poli, Filipe Varea Leme, ocorrido no dia de hoje, 30 de abril”.

“A direção da Poli ressalta que preza pela adoção das medidas de segurança necessárias para a rotina do trabalho dentro de suas dependências. A escola informa, ainda, que prestará todos os esclarecimentos necessários para a elucidação dos fatos junto às autoridades competentes.

Neste momento de profunda dor, a Universidade se solidariza com familiares, amigos e toda a comunidade acadêmica. O Escritório de Saúde Mental da Universidade está prestando apoio à família”.

Fonte: Globo.com

________________________________________________________________

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado24 horas por dia:
Twitter - Gazeta do CerradoTwitter: (@Gazetadocerrado): https://twitter.com/Gazetadocerrado?s=09
YouTube - Gazeta do CerradoYouTube vídeo reportagens e transmissões 🔴 AO VIVO🔴: https://www.youtube.com/c/GazetadoCerrado-TVG
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais (63) 981-159-796

Sua opinião é muito importante: