Mais de 250 pessoas morreram tirando selfies nos últimos seis anos

Kirill Oreshkin se pendura no topo de prédios para os "selfies" mais radicais que você já viu (Foto: Kirill Oreshkin)

Até onde você vai por uma selfie? Nos últimos seis anos, 259 pessoas foram longe demais e acabaram perdendo a vida. A informação é do Instituto de Estudos Políticos, Econômicos e Sociais (Euripses).

Os dados foram coletados entre 2011 e 2017 e os jovens de 20 a 29 anos integram a maior faixa etária de vítimas, contabilizando 106 mortes. Enquanto isso, os adolescentes de 10 a 19 anos protagonizaram 76 acidentes durante os cliques. A soma dos dois grupos corresponde a cerca de 70,3% do total.

Ademais, de acordo com a ANSA, dentre as ocorrências, 59% dos indivíduos eram homens e 84% dos incidentes foram causados uma vez que as vítimas resolveram tirar fotos em ambientes muito arriscados, como pedras próximas ao mar e na direção de automóveis –  o que corresponde a 70 pessoas mortas por afogamento, 51 em acidentes em meios de transporte, 48 por quedas de lugares altos, 48 por queimaduras, 16 eletrecutadas, 11 atingidas por armas de fogo e oito por ataques de animais.

Com isso em pauta, na Tailândia, o governo proibiu a qualquer visitante da praia Mai Kho de tirarem fotos. A medida foi tomada para prevenir acidentes entre os turistas e os aviões que passam muito perto da areia, para aterrissar no aeroporto Aeroporto Internacional de Phuket. As punições ao crime podem acarretar multas de mais de 4 mil reais, prisão de 20 anos e até pena de morte.

fonte: Casa & Jardim

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado24 horas por dia:
Twitter - Gazeta do CerradoTwitter: (@Gazetadocerrado): https://twitter.com/Gazetadocerrado?s=09
YouTube - Gazeta do CerradoYouTube vídeo reportagens e transmissões 🔴 AO VIVO🔴: https://www.youtube.com/c/GazetadoCerrado-TVG
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais (63) 981-159-796

 

 

Sua opinião é muito importante: