Nova fase da Operação Catarse mira ex-servidores que teriam recebido salários de R$ 2,4 mil sem trabalhar

Nova fase da operação ocorreu em Araguaína e Santa Fé do Araguaia.

Em seguimento à Operação Catarse, que investiga crimes de peculato contra a administração pública estadual, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Especializada em Investigações Criminais – DEIC Norte, cumpriu nesta terça-feira, 28, mais duas buscas e apreensões nas residências de pessoas que foram lotadas nos quadros do efetivo estadual, mas suspeita-se que não exerciam suas funções.

De acordo com o delegado Bruno Boaventura, os alvos desta fase da operação são um ex-parlamentar e atual secretário na gestão municipal na cidade de Santa Fé do Araguaia, no Norte do Estado, e uma ex-servidora estadual residente em Araguaína, a 377 quilômetros de Palmas. Para o delegado, a investigada, esposa de um ex-parlamentar de município na região Norte do Estado, estaria trabalhando como artesã.

Segundo o delegado José Anchieta de Menezes, o primeiro investigado teria sido lotado na antiga Secretaria Geral de Governo, recebendo proventos de fevereiro a outubro do ano passado e teria pedido exoneração nos quadros do efetivo estadual para assumir cargo de gestão na prefeitura de Santa Fé do Araguaia. Já a mulher teria sido nomeada em fevereiro de 2018 e exonerada no último dia daquele ano. Ambos recebiam salários de R$ 2,4 mil.

“Nos dois depoimentos, os suspeitos confirmaram que nunca assinaram lista de frequência e, por residir em municípios distantes da Capital, não exerciam suas funções na pasta”, ressaltou ainda o delegado Bruno Boaventura.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública

 

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado24 horas por dia:
Twitter - Gazeta do CerradoTwitter: (@Gazetadocerrado): https://twitter.com/Gazetadocerrado?s=09
YouTube - Gazeta do CerradoYouTube vídeo reportagens e transmissões 🔴 AO VIVO🔴: https://www.youtube.com/c/GazetadoCerrado-TVG
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais (63) 981-159-796

Sua opinião é muito importante: