Ex-senador diz que ação de execução é irregular e não é de dívida de campanha

O ex-senador pelo Tocantins, Vicentinho Alves se manifestou sobre a decisão da justiça para penhora de R$ 1 milhão de seus bens. Sua assessoria jurídica alega que a dívida não é de campanha. As explicações foram encaminhadas através de nota à Gazeta do Cerrado.

“Sobre a penhora de bens do ex-senador Vicentinho Alves, registra-se que a cobrança não é oriunda de dívida de campanha. Nos autos do processo não há qualquer menção sobre isso”, explica.

“Esclarece-se, ainda, que a cobrança está calcada em cheque decorrente de negócio jurídico já finalizado. Ou seja, a ação está eivada de irregularidades, as quais estão sendo averiguadas nas vias adequadas, ressaltando que o Judiciário tem rechaçado cobrança com juros ilegais e punido sim empresas que fazem cobranças indevidas”, explica nota da assessoria.

Para finalizar, a nota diz ainda que Infelizmente, cobranças indevidas são comuns a todo cidadão de bem. “possuímos confiança de que tais práticas serão coibidas pelas autoridades”, diz a assessoria.

O juiz José Maria Lima da 2ª Vara Cível de Portal Nacional determinou a penhora de um imóvel, uma fazenda e duas caminhonetes da família do ex-senador Vicentinho Alves. O valor total é de R$ 1 milhão.

A empresa Rápido Cobranças entrou com uma Ação de Execução de Título Extrajudicial cobrando o valor.

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado24 horas por dia:
Twitter - Gazeta do CerradoTwitter: (@Gazetadocerrado): https://twitter.com/Gazetadocerrado?s=09
YouTube - Gazeta do CerradoYouTube vídeo reportagens e transmissões 🔴 AO VIVO🔴: https://www.youtube.com/c/GazetadoCerrado-TVG
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais (63) 981-159-796

Sua opinião é muito importante: