Arte de grafiteiros se populariza na Capital com linguagens urbanas

| Gazeta do Cerrado - Para mentes pensantes | - 28/02/2020

Última atualização em 28/02/2020 17:16

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Surgida em Nova York (EUA) nos anos 70, o graffiti é uma manifestação cultural em que o artista utiliza espaços públicos para manifestar sua linguagem artística, criando uma interferência na cidade. Instrumento de crítica social, o graffiti já contagiou diversos lugares em Palmas e a Capital abraçou o movimento ao sediar o evento mais importante do segmento no ano passado, o Festival de Arte de culturas urbanas.

A grafiteira Bruna Moreira, mais conhecida como “Bromou”, usa a arte para reescrever a história de Palmas. Sua obra mais recente pode ser apreciada em um mural no Capim Dourado Shopping. A criadora de “A menina e a coruja” afirmou que o grafite une pessoas.

“Uso os muros como uma forma de unir e criar novos espaços de encontro e convivência, ao invés de separar e isolar as pessoas. O graffiti traz um respiro, algo lúdico e quebra a agressividade ligada a rotina. A cor nos permite sonhar, e o graffiti faz o sonho acontecer na cidade. “A menina e a coruja” vem com esse propósito de estabelecer uma conexão entre a arte e a cidade, propondo um novo lugar de vida, de encontro e muita cor. Um trabalho essencialmente feito por pessoas para pessoas”, ressaltou a artista.

Sandro Rios também é grafiteiro e afirma que o graffiti é a sua vida. “Transformou a minha vida. Eu ‘grafito’ desde pequeno e sobrevivo da minha arte. Palmas tem um grande respeito pelo meu trabalho, não só a Capital, o Estado inteiro. Por onde vou no Brasil sinto que a sociedade tem entendido cada vez mais as minhas manifestações, admirando minhas obras”, celebrou Sandro Rios.

Hoje, o graffiti conseguiu quebrar preconceitos e já estampa grandes marcas. Um dos lançamentos mais recentes de O Boticário, Quasar Graffiti, apostou na energia pulsante das artes urbanas. O “manifesto graffiti” acredita que expressar a verdade de cada um, nos dias de hoje, é um ato de coragem. O Boticário une, assim, uma das práticas artísticas mais antigas do mundo com energia e personalidade.

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Marketing: Ana Negreiros

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]