Em meio a divisões, Câmara Legislativa do DF vota mudanças na saúde

| Gazeta do Cerrado - Para mentes pensantes | - 24/01/2019

Última atualização em 26/08/2019 13:03

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

A Câmara Legislativa do Distrito Federal vota hoje, 24,  projeto de lei que expande o atual modelo de gestão do Instituto Hospital de Base para mais unidades da rede – inicialmente, o Hospital Regional de Santa Maria e seis unidades de pronto atendimento (UPAs). O texto foi encaminhado em regime de urgência e a votação acontece via convocação extraordinária, já que os distritais estão no meio do recesso parlamentar.

Com natureza jurídica de serviço social autônomo, o Instituto Hospital de Base passaria a se chamar Organização Hospitalar do Distrito Federal e permaneceria com a possibilidade de realizar compras de medicamentos e insumos sem licitação, contratar prestadores de serviços da iniciativa privada e admitir profissionais pelo regime celetista.

Impasse

A proposta vem sendo fortemente criticada por sindicatos do setor, que entendem que o texto terceiriza a saúde pública. Ontem, 23, o Sindicato dos Médicos, o Sindicato dos Enfermeiros e o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal, entre outros, protocolaram pedido de audiência urgente com o governador Ibaneis Rocha e com o secretário de Saúde, Osnei Okumoto para tratar da proposta.

Justiça

Também ontem, 23, o Ministério Público Federal, o Ministério Público do Trabalho e o Ministério Público de Contas do Distrito Federal pediram que a proposição seja retirada da pauta. No documento, encaminhado ao presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), os órgãos avaliam como inconstitucional o atual modelo do Instituto Hospital de Base. Na hipótese de a retirada ser impossível, a recomendação é a rejeição integral do texto.

Emergência

Uma semana após assumir o governo do Distrito Federal, Ibaneis decretou situação de emergência na saúde pública da capital federal. Na prática, a medida autoriza a contratação de horas extras para profissionais da área, a convocação de concursados e a contratação de servidores que já haviam se aposentado e que desejam retornar ao trabalho. Os investimentos iniciais na área giram em torno de R$ 10 milhões.

Fonte: Agência Brasil

 

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim Jacob
[email protected]

CEO, CFO, Diretor Executivo e Marketing: Marco Aurélio Jacob
[email protected]

Expediente

Sub Editor: Brener Nunes

Repórter: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Presidente do Conselho Consultor: Stênio Jacob

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 981-159-796
[email protected]