Polêmica! São Miguel do TO tem 48h para devolver cargo aos servidores que tinham sido exonerados

Por Gazeta do Cerrado | 26/01/2021

Última atualização em 27/01/2021 07:34

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

A desembargadora Jaqueline Adorno deu prazo de 48 horas para que a Prefeitura de São Miguel do Tocantins, na região no norte do estado, devolva ao cargo os servidores efetivos que tinham sido exonerados pelo município. A decisão liminar do Tribunal de Justiça foi publicada no fim da manhã desta terça-feira (26).

Entenda a polêmica

A polêmica envolvendo o concurso realizado pela cidade em 2016 começou depois que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) encontrou ilegalidades no certame e mandou o prefeito exonerar os servidores.

O Ministério Público Estadual chegou a emitir uma recomendação para que o prefeito prestasse esclarecimentos e não exonerasse nenhum servidor. Só que o prefeito decidiu cumprir integralmente a determinação do TCE, exonerando 66 servidores de diversas áreas.

Na decisão do Tribunal de Justiça, a desembargadora afirma que os atos de exoneração só poderiam ser feitos após um processo administrativo. “Vislumbra-se que o ato questionado em comento fora perpetrado em flagrante violação aos princípios constitucionais do devido processo legal e ampla defesa”, afirmou na decisão.

Conforme a desembargadora, as nomeações são presumidamente verdadeiras até que se prove o contrário e mesmo que a administração pública possa anular seus próprios atos, só poderia fazer isso por um processo administrativo ou judicial, dando direito de defesa aos envolvidos.

“Defiro o pedido liminar de antecipação de tutela, para desconstituir o decisum fustigado e determinar que, no prazo de 48 horas, sejam tornados sem efeito os atos de exoneração”, afirmou.

Também foi estabelecida uma multa diária de R$ 1 mil, limitada a R$ 50 mil, em caso de descumprimento. Apesar da decisão liminar, o pedido feito pelos servidores ainda precisará ser julgado pelos demais desembargadores do TJ.

Entenda

 

São Miguel do Tocantins fica na região do Bico do Papagaio, na divisa com o Maranhão, e tem mais de 12,2 mil habitantes, segundo o IBGE.

O TCE tinha dado prazo de 30 dias para que os servidores fossem exonerados. O concurso foi anulado porque o Tribunal encontrou várias irregularidades durante a realização do certame, como o fato de ter ocorrido gasto acima do permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

O município também não teria apresentado a lei de criação dos cargos, que deveria ser aprovada no município. O concurso ofertava 102 vagas, das quais, 66 tinham tomado posse.

Fonte G1 TO

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]