No Banner to display

Políticas ambientais e danos por queimadas viram alvo de investigação no TO

Por Lucas Eurilio | 09/07/2020

Última atualização em 09/07/2020 10:07

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Investigação visa proteger  meio ambiente dos danos por queimadas e incêndios

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) vai apurar a aplicação das políticas públicas ambientais nos municípios abrangidos pela Promotoria Regional Ambiental do Alto e Médio Araguaia, visando proteger o meio ambiente dos danos causados por queimadas e incêndios florestais.

O promotor de Justiça Regional Ambiental do Araguaia, Francisco Brandes Júnior, assinou nesta quarta-feira, 8, uma portaria ministerial instaurando procedimento administrativo para tratar do caso.

“Estamos adentrando um período em que a ocorrência das queimadas e incêndios florestais tende a se acentuar em nosso Estado e isso requer uma ação proativa dos gestores municipais, para que implementem ações que protejam o meio ambiente dos graves danos que são causados por queimadas irregulares, principalmente durante a pandemia da Covid-19 e suas consequências também à saúde pública”, ressaltou.

O procedimento será subsidiado por relatórios técnicos do Centro de Apoio Operacional de Habitação, Urbanismo e Meio Ambiente (Caoma), que deverão detalhar a situação das áreas queimadas nos municípios abrangidos pela atuação da Promotoria Regional Ambiental do Alto e Médio Araguaia.

Segundo o promotor, os relatórios serão encaminhados aos gestores públicos municipais e órgãos de proteção ambiental.

“Será instaurado um procedimento administrativo em cada município, por meio do qual o Ministério Público realizará as diligências visando o cumprimento das medidas legais para proteção do meio ambiente na região”, detalhou.

Comissão de Meio Ambiente

Ao comentar o assunto, o procurador de Justiça e coordenador do Caoma, José Maria da Silva Júnior, destacou que esse trabalho atende a uma orientação da  Comissão do Meio Ambiente do Conselho Nacional do Ministério Público, que busca a prevenção do aumento da gravidade da Covid-19 em função da poluição do ar, especialmente na região amazônica, além de atuar para a prevenção das queimadas na vegetação nativa dos biomas amazônicos, como o Cerrado.

Fonte: Ascom MPTO

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]