No Banner to display

Termo de cooperação vai ajudar no controle populacional de capivaras

Por Lucas Eurilio | 11/12/2019

Última atualização em 11/12/2019 18:33

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Para a execução do ‘Programa de Controle Populacional – Castração e Monitoramento – das Capivaras de Palmas’, foi assinado nesta quarta-feira, 11, o Termo de Cooperação Técnica entre a Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) e a Universidade Católica do Tocantins (Unicatólica). A assinatura do documento é resultado de reunião entre a presidente da FMA, Meire Carreira, a diretora de Controle Ambiental, Bruna Almeida e o reitor da Unicatólica, Padre Helenes Oliveira de Lima, o vice-reitor administrativo, Rilu Dani Cosme da Silva, e o professor e médico veterinário, Luís Flávio Botelho.

O plano de ação deve ter duração de dois anos, segundo informou Meire Carreira.

“A parceria com a Unicatólica será de grande relevância, não só pela participação da universidade para operacionalizar as esterilizações, mas também pela expectativa de viabilização de pesquisas na área de manejo das capivaras”, concluiu a presidente da FMA.

Depois do processo de castração os animais podem retornar ao habitat natural no dia seguinte, após serem acompanhados pelos técnicos e médicos veterinários que participarem das cirurgias, quando serão verificadas se as condições de saúde estão preservadas.

O ‘Plano de Manejo das Capivaras’ foi apresentado no mês de agosto durante o ‘I Simpósio sobre Manejo Populacional de Capivaras’. Um dos objetivos deste trabalho é evitar a superpopulação destes animais, que podem se tornar um problema inclusive no compartilhamento do espaço urbano.

As castrações obedecem a um rigoroso protocolo que visa evitar o estresse do animal. Os profissionais são habilitados para atuar desde a captura até a soltura do animal, passando pela intervenção cirúrgica.

A castração das capivaras foi um dos métodos de controle populacional apontado pelo ‘Plano de Manejo’, com o intuito de que a quantidade de indivíduos não ultrapasse o limite que o Parque Cesamar possa suportar, a fim de que as capivaras e as pessoas possam conviver em harmonia.

As capivaras

As capivaras são grandes mamíferos, herbívoros, que vivem em grupos próximos a córregos e lagos e, que em Palmas, sofrem pouca ameaça de predadores.

Indicadores do crescimento desses grupos, especialmente o grupo instalado no Parque Cesamar,  levantaram questionamentos acerca do ritmo de reprodução desses animais silvestres e questionamentos sobre como garantir que a proximidade dessa espécie com o homem e, especialmente, como realizar a prevenção de problemas ambientais e de saúde pública que podem surgir diante de um crescimento desordenado da população de capivaras.

Fonte: Secom Palmas

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]