Tradicional Tropeada de Integração começou dia 3 e segue até 12 de outubro

| Gazeta do Cerrado - Para mentes pensantes | - 10/10/2016

Última atualização em 10/10/2016 17:39

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Fé, devoção e cultura. Esses são os elementos que compõem a tradicional Tropeada de Integração da Nossa Senhora de Aparecida. Na 10ª edição do evento, o trajeto teve saída de Araguanã e chegada e em Araguaína, no norte do Tocantins. O percurso é de 187 km e foi realizado em nove dias. O evento teve início no último dia 3 e segue até 12 de outubro, dia do feriado de Nossa Senhora Aparecida. A festa reuniu quase 200 tropeiros.

O percurso e os pontos de paradas são decididos por uma comitiva organizadora ou por iniciativa dos próprios fazendeiros, que oferecem as próprias propriedades para acolher os tropeiros vindos de todas as regiões do Tocantins. As dormidas são sempre improvisadas em redes e barracas.

Além dos cavalos, roupas à caráter, berrantes, fogos de artifícios, churrasco e orações não podem faltar na festa.

O fazendeiro Bruno Santos acredita que o segredo para tudo dar certo está na união. “É todos conversarem entre si, se respeitarem. A tropeada hoje é uma grande família”, afirma.

Os fiéis revivem tradição e guardam lembranças dos antepassados, que viveram a realidade do tropeirismo no Brasil. Eles deixam como herança para os descendentes um pouco de própria história. A primeira Tropeada de Integração de Nossa Senhora de Aparecida no Tocantins foi há 10 anos, com o trajeto de Colinas à Araguaína.

Um dos pioneiros no Tocantins, Marim Paulo foi homenageado pelos tropeiros. Além de participar da tradição desde a década de 70, também é um dos fundadores da cavalgada em Araguaína.

O fazendeiro Célio Caies, de Augustinópolis,participa de todas as edições e conta que o amor pela tradição é passado de geração em geração na família dele.

“Vem desde o meu pai, meu avô, que foram tropeiros e assim me ensinaram. Estou passando para o meu filho, por isso faço questão de vir e trazer a família. Quero que ele siga. É a herança que quero deixar para ele, de respeito, dignidade e família”.

Fonte: G1 Tocantins

 

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim Jacob
[email protected]

CEO, CFO, Diretor Executivo e Marketing: Marco Aurélio Jacob
[email protected]

Expediente

Sub Editor: Brener Nunes

Repórter: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Presidente do Conselho Consultor: Stênio Jacob

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 981-159-796
[email protected]