No Banner to display

Família doa órgãos de criança e TO realiza 1ª captação cardíaca

Por Maju Cotrim | 31/07/2020

Última atualização em 31/07/2020 11:55

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Nesta madrugada de sexta- feira, 31, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) por meio da Central Estadual de Transplante do Tocantins (CET), juntamente com a Central Nacional de Transplante(CET) e equipe do Hospital Municipal de Araguaína (HMA), realizou a primeira captação cardíaca no Estado.

Uma criança de três anos teve morte encefálica e a família autorizou a doação dos órgãos, sendo captados o coração e as córneas. Como o Tocantins ainda não possui serviço de captação cardíaca, a Central Estadual acionou uma equipe de outro Estado que veio para realizar o procedimento, as córneas foram captadas pelo Banco de Olhos do Tocantins (Boto).

“A CET Tocantins organizou toda logística para que o desejo da família fosse atendido, juntamente com o Hospital Municipal de Araguaína, tudo ocorreu dentro do esperado. Sabemos que esta doação de órgão vai beneficiar outras vidas e isso nos enche de orgulho e satisfação. Vale salientar que esta captação foi possível graças a autorização da família. É preciso que a sociedade entenda a importância do ator de doar”, salientou a coordenadora da Central Estadual de Transplante do Tocantins, Suziane Crateús.

A coordenadora também explica que caso a pessoa queira ser doador não é preciso deixar nada por escrito, e sim comunicar à família, pois somente os parentes (de até segundo grau) podem autorizar a doação.

O Tocantins já realiza o transplante de córneas desde 2016, com um total de 174 procedimentos, agora trabalha para a implantação do transplante renal.

Que tipo de órgãos que podem ser doados?

Coração: o transplante só pode ser realizado por meio de um doador falecido, com morte encefálica constatada.

Válvulas cardíacas: esse tipo de transplante é indicado para pessoas com doenças da válvula do coração.

Fígado: é um órgão que tem a capacidade de regenerar-se, por isso, o doador pode doar parte de seu fígado, em vida. Esse tipo de transplante é realizado principalmente em casos de cirrose hepática.

Ossos: Os ossos doados podem ser mantidos em um banco por um longo período.

Medula óssea: é responsável por produzir componentes do sangue e é usada para a cura de doenças que afetam as células do sangue, como a leucemia.

Rim: os rins podem ser doados tanto em vida quanto após o falecimento. A doação do rim geralmente é feita para pessoas com hipertensão, diabetes, insuficiência renal crônica, entre outras doenças renais.

Pâncreas: O transplante é feito em pessoas com diabetes e sérios problemas renais.

Córneas: o transplante só pode ser feito a partir de doadores falecidos, com idade entre 2 a 80 anos. Ceratocone e distrofia do endotélio são algumas das doenças graves que podem afetar a córnea, parte do olho que controla a passagem de luz para a retina.

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Participe! Faça seu comentário

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]