No Banner to display

Kátia Abreu ataca: “Bolsonaro precisa entender que meio ambiente e agronegócio não são uma questão gastrointestinal”

| Gazeta do Cerrado - Para mentes pensantes | - 13/08/2019

Última atualização em 26/08/2019 14:27

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo nesta terça-feira (13), a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) manifestou preocupação com eventuais prejuízos à agropecuária brasileira diante da atual política ambiental do Governo Federal. A parlamentar destacou a importância do meio-ambiente tanto para a manutenção de mercados externos quanto para o aumento da produção de alimentos.

Ex-ministra da Agricultura e ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), a senadora trabalhou durante as últimas três décadas em defesa da agricultura brasileira, visitando dezenas de países em busca de acordos para favorecer as exportações.

“Bolsonaro está se comportando como antimercado. Hoje, as empresas mais valorizadas na bolsa têm um componente fortíssimo tecnológico e de sustentabilidade. Quem nega isso está fora da realidade”, pontuou.

Para Kátia Abreu, Bolsonaro está transferindo toda a sua visão reacionária para o agro. “Não está preocupado com o agro, mas com os eleitores do agro. Se ele estivesse preocupado com o agro, ele diria: ‘meus amigos, vamos ter cautela’. Isso seria a postura de um presidente da República que se preocupa com o setor, com a economia”, destacou.

A senadora do Tocantins ressaltou ainda que não tem intenção de comprar briga contra o governo federal, mas alertou que a falta de zelo com a questão ambiental poderá impactar negativamente a agropecuária, ao invés de auxiliar as cadeias produtivas. “O presidente precisa entender que meio ambiente e agronegócio não são uma questão gastrointestinal”, ressaltou.

“Os produtores estão alegres hoje e poderão chorar amanhã. Temos o agro que produz na roça, que apoia o Bolsonaro. Mas o agro tem outras cadeias: a produção de insumos (adubos, fertilizantes e agroquímicos), o processamento (frigoríficos, esmagadores de soja) e industrialização e os transportadores. Esses três últimos estão desesperados, porque quem vai bater na porta com a cara e a coragem para vender são eles. Isso tudo é agronegócio também”, disse.

Gazetadocerrado.com.br – Para mentes pensantes

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

AL-AGE-Inst-Dez-01_a_15/12/19
ASSECAD NOVO 11/02/2019
BRK-06-06-2019

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim Jacob
[email protected]

CEO, CFO, Diretor Executivo e Marketing: Marco Aurélio Jacob
[email protected]

Expediente

Sub Editor: Brener Nunes

Repórter: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Presidente do Conselho Consultor: Stênio Jacob

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 981-159-796
[email protected]