Monitor mostra que Sul e Sudeste do TO tiveram piora nos indicadores de seca

Por Gazeta do Cerrado | 22/02/2021

Última atualização em 22/02/2021 17:04

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Foto: Acervo Semarh/Governo do Tocantins

 

Os dados do Monitor de Secas são referente a janeiro de 2021

 

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), divulgou nesta segunda-feira, 22, dados do Monitor de Secas referente a janeiro de 2021. A equipe técnica da Semarh, Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil analisaram 40 formulários enviados a diferentes municípios do Tocantins, com a finalidade de avaliar a condição de seca perante a ótica dos gestores municipais. O Monitor de Secas é um processo de acompanhamento regular e periódico da situação da seca em vários Estados brasileiros, cujos resultados consolidados são divulgados através do Mapa do Monitor de Secas, que pode ser acessado pelo link: http://monitordesecas.ana.gov.br/. Mensalmente, as informações sobre a situação de secas do mês anterior são disponibilizadas no site.

Os dados coletados pela rede de observadores indicou que a condição de seca melhorou nas regiões do Bico do Papagaio, Noroeste, Norte, Central, Jalapão e Oeste, em contrapartida, os municípios das regiões Sudeste e Sul indicaram quadro de piora na condição de seca. Com base nos outros formulários enviados nos meses de novembro e dezembro, foi necessário uma investigação acerca da dimensão do possível quadro de seca nas regiões Sul e Sudeste.

Foi avaliado que para o mês de janeiro os eventos de seca no Tocantins tiveram avanço no quadro de piora (seca grave – S2) na região central e no sudeste do Estado, em razão dos desvios negativos de precipitação e da piora nos indicadores de seca. No restante do Estado os impactos permanecem de curto prazo (C) no sudeste, de curto e longo prazo (CL) nas demais áreas, conforme mostra o mapa.

Para o traçado do mapa do Monitor de Secas de janeiro de 2021, foram utilizadas as considerações feitas na videoconferência, realizada no último dia 09 de fevereiro, por representantes da Agência Nacional de Águas (ANA) e das instituições autoras: Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA-BA),  Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC-PE), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME-CE), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM-MG) e Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (INCAPER-ES). Na etapa de validação do mapa, diversas instituições estaduais parceiras contribuíram com dados complementares de suas redes de monitoramento e/ou informações de campo repassadas pelos observadores de impactos locais. Os trabalhos foram coordenados pela equipe da  ANA  e Saneamento Básico, instituições centrais do programa Monitor de Secas.(Colaboração – Francisco Donizete/Governo do Tocantins).

Fonte/Texto: Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Participe! Faça seu comentário

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]