No Banner to display

Nem serpente, nem lagarto: réptil com escamas é encontrado em parque no Pará

Por Da Redação | 12/07/2020

Última atualização em 12/07/2020 10:28

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

“Faço a pesquisa há 8 anos no Parque e foi a segunda vez que encontrei essa espécie”

Uma espécie de réptil com escamas, identificada como Amphisbaena fuliginosa, foi encontrada esta semana no Parque Estadual do Utinga, em Belém. O animal, que não é nem serpente, nem lagarto, chamou atenção do pesquisador responsável pelo inventário de répteis e anfíbios do Parque, Augusto Jarthe, que encontrou o bicho de 18 centímetros de comprimento nas proximidades do Lago Bolonha.

Jarthe realiza o trabalho de levantamento da herpetofauna do local em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio). Segundo o pesquisador, o grupo das Anfisbenas apresenta características peculiares, que são adaptadas para atividades de escavação e a vida em ambientes subterrâneos.

“Existem poucos exemplares depositados nas coleções científicas e, consequentemente, poucos estudos a respeito desse animal, principalmente pela grande dificuldade que temos de encontrá-los. Faço a pesquisa há 8 anos no Parque e foi a segunda vez que encontrei essa espécie. E encontrar um indivíduo jovem é muito bom, pois percebemos que o Parque é um ambiente preparado para a reprodução e desenvolvimento desses animais”, disse o pesquisador.

A Anfisbena possui o corpo coberto por escamas e o seu nome é um termo grego, que significa “aquele que caminha para ambas as direções”. A espécie é conhecida por três nomes populares: cobra-cega (pelo tamanho reduzido de seus olhos); cobra-de-duas cabeças (pela semelhança entre a cauda e a cabeça de algumas espécies) ou mãe-das-saúvas (devido a presença de algumas espécies em ninhos de formigas cortadeiras).

De acordo com o pesquisador, as Anfisbenas são animais carnívoros, que possuem uma alimentação parecida com a de alguns lagartos. Por viver em ambientes subterrâneos, se alimentam com o que está presente no solo como cupins, larvas de besouros e de formigas, dentre outros invertebrados.

O animal apresenta um corpo cilíndrico e alongado, cauda curta e arredondada, olhos muito reduzidos e capacidade de se movimentar para frente e para trás com a mesma habilidade. Na fase adulta, a espécie pode atingir até 50 centímetros de comprimento e de 4 a 5 centímetros de diâmetro.

Fonte: G1 Pará
Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]