Mulher segurando cartaz "vacinas salvam"

O Coletivo SOMOS, que defende as vacinas e a apresentação do cartão de vacinação, explicou que foi até a Câmara de Palmas acompanhar a Sessão e ao chegar, se depararam com o grupo que os atacou.

 

Mulher segurando cartaz "vacinas salvam"

Coletivo Somos fez protesto nesta quarta-feira, 23 – Foto – Divulgação

O Coletivo SOMOS esteve nesta quarta-feira, 23, na porta da Câmara Municipal de Palmas, se manifestando contra um grupo de conservadores.

Com um cartaz escrito “Vacinas Salvam”, a integrante do Coletivo Thamires Lima se posicionou na entrada da Casa de Leis, enfrentando o grupo conservador que gritava: “Vacinas não salvam. Quem salva é Jesus”; “Bando de covardes”; “Estamos aqui para saber qual vereador vai para a frente da batalha com a gente”, entre outras frases.

O integrante do SOMOS, Alexandre Peara, explicou que foram até a Câmara para acompanhar a Sessão e, ao chegar, se depararam com o grupo que eles intitularam de “negacionistas”. “Não podemos ficar calados diante de tanto negacionismo. O SOMOS tem lado e tem posicionamento. É a favor da imunização, da ciência e da pesquisa”, disse.

Para Thamires, enfrentar o grupo presente é um ato de resistência. Ela também destacou a importância de se posicionar sobre aquilo que o Coletivo acredita. “Teve um momento que eles fizeram uma roda e eu fiquei no meio. Então uma senhora que se diz pastora, gritava o tempo inteiro que vacinas não salvam, disse que ‘Existem filhos de Deus e filhos do diabo. E o filho do diabo está no meio de nós’, se referindo a nós do SOMOS. É uma tristeza ver pessoas que se dizem cristãs defendendo pautas como esta. Mas nós continuaremos na luta, defendendo a vacinação e a ciência. Não abrimos mão disso”, declarou.

O Coletivo SOMOS destacou ainda a decisão proferida pelo juiz de Direito José Maria Lima, contra uma Ação Civil Pública (ACP) proposta pelo MPE-TO, que queria a derrubada de um Decreto Municipal que obriga a apresentação do cartão de vacinação. Na decisão o Juiz disse: “Ainda, reconhecer como possível e legal o que pede o Ministério Público seria negar a ciência, amparar atitudes que atentem contra a saúde pública, expor a maioria da nossa população ao descaso, ao perigo, aos malefícios da pandemia, esta tão mortífera, como já restou comprovado”.

“A justiça já garantiu a decisão da Prefeitura. A Câmara deveria seguir o exemplo e fazer o mesmo, mas o silêncio sobre essa pauta tem sido ensurdecedor. De que lado a Casa de Leis e a Presidente da Câmara Janad está?”, questionou o grupo.

O grupo SOMOS havia solicitado através de ofícios em diversos órgãos públicos, a obrigatoriedade da apresentação do cartão vacinação para ter acesso aos respectivos prédios.

Entenda o caso:

https://gazetadocerrado.com.br/somos-solicita-que-mpe-tce-oab-e-crm-instituam-comprovante-de-vacinacao-contra-covid-19/