No Banner to display

Sistema solar está sendo destruído aos poucos e já tem prazo para sumir, aponta estudo

Por Gazeta do Cerrado | 04/12/2020

Última atualização em 04/12/2020 11:25

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Um estudo recente estipulou um prazo para que o sistema solar desapareça. Mas calma. Nem eu, nem você ou mesmo nossos tataranetos vão chegar minimamente perto de presenciar este fenômeno. A extinção do ambiente de planetas que orbita em torno do Sol está prevista para ocorrer em um período de 1 trilhão de anos.

artigo, escrito pelos cientistas Jon K. Zink, Konstantin Batygin, Fred C. Adams, de departamentos de astronomia e física de universidades da Califórnia e Michigan, nos Estados Unidos, aponta que a destruição do sistema solar será feita justamente e ironicamente pelo Sol, a estrela responsável pela vida na Terra.

De acordo com os pesquisadores, em um determinado momento, o Sol vai deixar de emitir combustível nuclear e, então, vai se tornar uma gigantesca estrela avermelhada. Durante este processo, o Sol vai inchar e aumentar de tamanho exponencialmente. Com isso, planetas como Mercúrio, Vênus e a própria Terra serão derretidos pelo calor.

Mas o Sol não vai inchar até o infinito. Nas previsões mais recentes, a estrela vai eventualmente vai diminuir de tamanho após engolir os três primeiros planetas. Isso porque, ao esgotar seu combustível, o Sol perderia massa diminuiria a sua força gravitacional. O resultado seria o aumento das órbitas dos planetas restantes e o distanciamento destes da estrela.

Sol se tornaria uma estrela avermelhada e inchada que engoliria planetas como Mercúrio, Vênus e Terra.

Mas tudo ainda não passa de uma hipótese e bem difícil de ser comprovada. Pesquisadores estimam que o Sol ainda vai arder combustível fóssil durante 5 bilhões de anos antes de iniciar o processo em que se torna uma estrela vermelha inchada. Mesmo com simulações computadorizadas, é quase impossível criar um modelo que indique o que vai acontecer a partir de então.

Esperança em Marte

Os modelos criados, porém, indicam que Marte talvez seja o único planeta que poderá sobreviver ao fim do sistema solar devido a posição estratégica em que orbita. Isso porque planetas mais distantes do Sol, como Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, seriam desestabilizados e ejetados para longe do sistema solar em um período de até 1 trilhão de anos.

Já o planeta vermelho que se tornou uma obsessão de empresas como a SpaceX, de Elon Musk, dificilmente seria expulso do sistema solar justamente por não estar tão distante do Sol e nem tão próximo para ser engolido.

Fonte: Exame
Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]