No Banner to display

Vistoria detecta lotação do Dona Regina e falta até de luvas; Capital necessita de maternidade pública

Por Gazeta do Cerrado | 23/02/2021

Última atualização em 23/02/2021 11:26

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Hospital Dona Regina – Foto: Marcelo de Deus/MPTO 

 

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) realizou vistoria no Hospital e Maternidade Dona Regina (HMDR), de Palmas, na tarde de segunda-feira, 22, quando constatou que a unidade de saúde contava com 100% dos seus leitos ocupados, tanto os do tipo clínico quanto os de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A vistoria teve por finalidade subsidiar um inquérito civil público recém-instaurado pela 19ª Promotoria de Justiça da Capital, o qual visa a reestruturação da oferta de leitos e demais serviços prestados pelo HMDR, de modo a adequá-lo à atual demanda de pacientes. Conforme as representações que chegam à Promotoria de Justiça, são frequentes as reclamações relacionadas à oferta dos serviços, insumos e leitos clínicos e de UTI, fato que levou o promotor de Justiça Thiago Ribeiro Franco Vilela a concluir que a demanda é superior à capacidade de atendimento do hospital e maternidade.

Na vistoria desta segunda-feira, o promotor de Justiça foi informado de que o HMDR atende à maioria das demandas do Estado em sua área de atuação, o que contribui para a superlotação; e que a falta de um hospital municipal que absorva casos de baixa complexidade também colabora para a sobrecarga da unidade hospitalar. Também foi relatado ao representante do Ministério Público do Tocantins que ocorreu aumento no número de partos de bebês prematuros, que, na sua maioria, acontecem pela ausência de pré-natal adequado.

Durante a vistoria, servidores do Hospital e Maternidade Dona Regina informaram sobre a ocorrência de falta de luvas, sonar (detector ultrassônico fetal) e máscaras de proteção de qualidade. Ainda foi relatado a falta de medicamentos, a exemplo de Buscopan simples e Ampicilina. Na entrada da unidade, foi verificado um grande número de pessoas aguardando atendimento.

Vistoria Hospital Dona Regina -Foto: Marcelo de Deus/MPTO

Palmas sem maternidade

Palmas precisa de uma maternidade pública municipal. A capital é uma das únicas do país que não tem.

Em Brasília, o senador Eduardo Gomes comentou que pretende destinar recursos para a construção de uma maternidade.

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Participe! Faça seu comentário

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim - @MajuCotrim
[email protected]

Diretor Geral (CEO): Marco Aurélio Jacob - @MarcoJacobBrasil
[email protected]

Presidente do Conselho Deliberativo: Stênio Jacob

Expediente

Sub Editor: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Colaborador: Fagner Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Contabilidade: Júnior Goes

Juridico: Jacqueline Paiva

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 984-571-004
[email protected]

Institucional (63) 981-159-796 (Marco Aurélio)
[email protected]