Mais de 270 pessoas desapareceram no último ano no Tocantins, segundo anuário

| Gazeta do Cerrado - Para mentes pensantes | - 15/09/2019

Última atualização em 15/09/2019 18:52

Compartilhar no Facebook! Tweetar! Compartilhar no LinkedIn Enviar por email Compartilhar no Whatsapp

Equipe Gazeta do Cerrado

O Anuário da Segurança Pública mostra que em 2018 o Tocantins teve 273 pessoas desaparecidas. Em 2017 foram 293.

O levantamento porém não traz o número de pessoas localizadas ano passado. Em 2017, foram 163. O Anuário explicou que as informações sobre pessoas localizadas foram fornecidas pelos estados. No entanto, não foi possível apurar como o registro é realizado: qual o documento de base (por exemplo, Boletim de Ocorrência); se diz respeito a pessoas localizadas vivas ou mortas; se o encontro está ou não vinculado a eventos de desaparecimento previamente reportados; a que ano se refere o desaparecimento eventualmente antes reportado, ou seja, em que ano essa pessoa foi dada como desaparecida. Assim, os registros de pessoas localizadas no ano de 2017 não correspondem necessariamente aos casos de pessoas desaparecidas registrados no mesmo.

No Estado, um dos casos emblemáticos sobre o desaparecimento de pessoas nos últimos anos é o da menina Laura Vitória Oliveira da Rocha, que tinha 9 anos quando desapareceu em janeiro de 2016. Até hoje não há pistas do paradeiro dela.

Um dos mais recentes é o do desaparecimento do motorista Bruno Jales Ribeiro, de 33 anos de idade, que desapareceu em outubro do ano passado, segundo informou a família à polícia. O carro dele foi encontrado uma semana depois, na Praia do Caju, em Palmas.

De 2016 até o início deste ano já números já passam de 800 pessoas desaparecidas. Os casos registrados são investigados pela Polícia.

Estados

Em termos absolutos, os estados com o maior número de pessoas desaparecidas em 2018 foram: São Paulo (24.366), Rio Grande do Sul (9.090), Minas Gerais (8.594), Paraná (6.952) e Rio de Janeiro (4.619). Em termos relativos, taxa de desaparecimento por 100 mil habitantes, os maiores índices são do Distrito Federal (84,5), Rio Grande do Sul (80,2), Rondônia (75,2), Roraima (70,4) e Paraná (61,3).

De 2007 a 2018, as estatísticas somam 858.871 casos, quase quatro vezes (3,88) a população estimada do Plano Piloto, onde ficam as sedes dos Três Poderes em Brasília (DF). Nesse período de mais de uma década, a média é de 71,5 mil registros de pessoas desaparecidas por ano.

Lei em vigor no Tocantins

O governador Mauro Carlesse sancionou nesta quarta-feira, 7, a Lei n 3.524, em agosto deste ano, de autoria da deputada estadual Luana Ribeiro, que institui o alerta imediato para resgate de pessoas desaparecidas no Tocantins. Trata-se de um programa que objetiva agilizar o processo de recuperação de pessoas desaparecidas por meio da divulgação de emergência por emissora de radiodifusão e sites de internet.

Acompanhe as redes da Gazeta do Cerrado 24 horas por dia:
Aproveite e siga agora mesmo cada uma de nossas redes, pois cada uma delas possui características próprias e são complementares. Estamos sempre a disposição.
Para denúncias ou coberturas: (63) 983-631-319
Anunciar na Gazeta ou em suas redes sociais: (63) 981-159-796

0 comentários

Participe! Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Direção

Editora Chefe: Maju Cotrim Jacob
[email protected]

CEO, CFO, Diretor Executivo e Marketing: Marco Aurélio Jacob
[email protected]

Expediente

Sub Editor: Brener Nunes

Repórter: Lucas Eurílio

Jornalista: Maju Jacob

Estagiária: Luciane Santana

Assistente de Produção: Maitê Sales

TI: Tiago Bega

Presidente do Conselho Consultor: Stênio Jacob

Contatos

Para sugestões, correções, críticas ou entrar em contato:

Redação: (63) 984-631-319
[email protected]

Para anúncios ou parcerias comerciais

Comercial (63) 981-159-796
[email protected]